Justiça nega liberdade à mulher acusada de matar grávida para ficar com o bebê

COMPARTILHE
Crime ocorreu em uma cerâmica desativada, no município de Canelinha. Foto: Arquivo
A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), em matéria sob a relatoria do desembargador Leopoldo Augusto Brüggemann, negou liberdade a mulher presa preventivamente sob a acusação de matar uma grávida para ficar com o bebê. 

O crime ocorreu em Canelinha, na Grande Florianípolis, em uma cerâmica desativada.  A acusada responde por homicídio qualificado, tentativa de homicídio, subtração de incapaz, ocultação de cadáver e fraude processual. 

O colegiado entendeu pela manutenção da prisão em virtude da periculosidade da mulher e do risco à instrução criminal.

Segundo os autos, em agosto de 2020, uma mulher grávida foi assassinada em uma cerâmica desativada e seu bebê foi retirado do ventre pela acusada, que era amiga de infância da vítima. 

Para esconder o crime e justificar a presença do recém-nascido, a acusada inventou uma gravidez. Antes de chegar com a criança ao hospital, ela cortou o próprio corpo para simular um parto, na tentativa de enganar os profissionais de saúde. Ela chegou a tirar fotos do bebê antes de chegar à unidade hospitalar.

O magistrado de origem justificou a necessidade da prisão para a melhor apuração dos fatos, porque existe a suspeita de que a acusada teve o auxílio de outras pessoas. Inconformada com a manutenção da preventiva, a mulher impetrou habeas corpus ao TJSC. 

Alegou ser primária, sem antecedentes criminais, e que colabora com as investigações. Argumentou também a ausência dos pressupostos autorizadores da prisão cautelar e a insuficiência do decreto prisional, sobretudo em razão da falta de elementos concretos, pelo que sofre constrangimento ilegal. Subsidiariamente, suscitou a aplicação de medidas cautelares.

Para o colegiado, não há constrangimento ilegal porque o decreto prisional é amparado na preservação da ordem pública, bem como para assegurar a conveniência da instrução criminal e a aplicação da lei.

 "Como dito, ressalta-se que a periculosidade da paciente encontra amparo nas circunstâncias concretas do crime, a demonstrar a falta de limites dela para a satisfação de seu desejo (ter um bebê), ceifando a vida da amiga de infância e dissimulando os fatos para vê-lo realizado, razão pela qual é insuficiente, no caso, a aplicação de medidas cautelares diversas da prisão. Não há, pois, constrangimento ilegal a permitir a revogação do decreto prisional", anotou o relator em seu voto.

A sessão foi presidida pelo desembargador Júlio César Machado Ferreira de Melo e dela também participou o desembargador Getúlio Corrêa. A decisão foi unânime (Habeas Corpus Criminal n. 5043813-51.2020.8.24.0000).
Nome

Acidente,102,Acidente na BR-280,65,Afogamento,4,Agressão,1,Agricultura,18,Artigo de Opinião,1,Atropelamento,3,Auxílio Emergencial,10,BBB,1,Bela Vista do Toldo,35,Blumenau,1,BR-116,5,BR-280,1,Brasil,239,Busca e Resgate,1,Câmara dos Deputados,1,Campo Alegre,6,Canoinhas,992,Censura,1,Congresso Nacional,7,Coronavírus,440,Cotidiano,1,Crime,44,Crime Ambiental,4,Cultura,11,Curiosidades,14,Denúncia,2,Desaparecido,3,Destaque,186,Direito do Consumidor,4,Economia,171,Educação,122,Eleições,24,Emprego,12,Entretenimento,12,Estado é responsável,1,Estatísticas,1,Estiagem,2,Famosos,14,Fatalidade,1,Feminicídio,13,Fraude,2,Frio,1,Golpe,4,Homenagem,14,Humor,5,Incêndio,26,INSS,11,Inusitado,1,Irineópolis,38,Itaiópolis,47,Jaraguá do Sul,6,Joinville,31,Justiça,10,Leilão,1,Lockdown,1,Mafra,155,Mais do mesmo,1,Major Vieira,95,Manchete,251,Matos Costa,1,Mau tempo,1,Meio Ambiente,1,Memórias,11,Minas Gerais,2,Monte Castelo,25,Nossa história,24,Notícias,17,Notícias Internacionais,12,Novelas,2,Ocorrências Policiais,420,Pandemia,16,Papanduva,45,Paraná,74,Polêmica,2,Polícia Ambiental,17,Polícia Civil,55,Política,399,Porto União,37,Previsão do tempo,20,Redes Sociais,31,Regional,993,Rio Canoinhas,17,Rio Negrinho,13,Santa Catarina,945,Santa Cecília,12,São Bento do Sul,8,São Mateus do Sul,34,São Paulo,3,Saúde,198,SC-135,1,SC-418,2,SC-477,6,Segurança,7,Senado Federal,8,Sequestro,3,Solidariedade,43,Tecnologia,3,Telecomunicações,1,Temporal,11,Timbó Grande,10,Tráfico,1,Tragédia em Minas Gerais,7,Tragédia no sul catarinense,1,Trânsito,12,Três Barras,313,Turismo,1,União da Vitória,10,Utilidade Pública,17,Vacinação,33,Vale do Itajaí,1,Variedades,456,Verão,3,Violência contra mulher,23,
ltr
item
Canoinhas Online: Justiça nega liberdade à mulher acusada de matar grávida para ficar com o bebê
Justiça nega liberdade à mulher acusada de matar grávida para ficar com o bebê
https://1.bp.blogspot.com/-JzPJhYeBF4g/YCNCXFEJMLI/AAAAAAAAnY8/1ss7ICWq-LMRzLhbXKlyKDWsxgcX668ygCNcBGAsYHQ/s320/crime%2Bem%2Bcanelinha.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-JzPJhYeBF4g/YCNCXFEJMLI/AAAAAAAAnY8/1ss7ICWq-LMRzLhbXKlyKDWsxgcX668ygCNcBGAsYHQ/s72-c/crime%2Bem%2Bcanelinha.jpg
Canoinhas Online
https://www.canoinhasonline.com.br/2021/02/justica-nega-liberdade-mulher-acusada.html
https://www.canoinhasonline.com.br/
https://www.canoinhasonline.com.br/
https://www.canoinhasonline.com.br/2021/02/justica-nega-liberdade-mulher-acusada.html
true
314757626133630520
UTF-8
Carregar todas as notícias Não encontrou nenhuma postagem Ver mais Continue lendo Resposta Cancelar resposta Deletar Por Home PÁGINAS PÁGINAS Ver mais RECOMMENDED FOR YOU Resultado para ARQUIVO PESQUISAR TODAS AS NOTÍCIAS Não foi encontrada nenhuma correspondência com o seu pedido Voltar para página inicial Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutos atras 1 hora atrás $$1$$ hora atrás Ontem $$1$$ dia atrás $$1$$ semana atrás mais de 5 semanas atrás Follow Este conteúdo é Premium Compartilhe para desbloquear Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy