Médicos e deputados defendem volta imediata às aulas presenciais no Brasil

COMPARTILHE
Foto: Divulgação
Médicos ouvidos pela Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19, nesta quarta-feira (28), defenderam a volta imediata às aulas presenciais no Brasil. Não participaram do debate especialistas ou parlamentares com opinião divergente. 

Líder do governo na Câmara, o deputado Ricardo Barros, que pediu a reunião, defende o retorno “à normalidade” no Brasil, com “isolamento vertical”, ou seja, com cuidados especiais só para idosos e imunodeprimidos. 
“Dessa forma adquiriríamos imunidade de rebanho, encerraríamos a pandemia e faríamos um plano de retorno à economia sustentável a médio e longo prazo”, afirmou.
 Segundo ele, o Brasil já estruturou o sistema de saúde, e o número de óbitos vem caindo. 

Imunidade de rebanho

Médico na Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Alexandre Chieppe se mostrou preocupado com o uso do termo imunidade de rebanho – conceito usado por infectologistas para definir o percentual da população que teve contato com o vírus e desenvolveu imunidade à doença e, dessa forma, protegeria o restante da população.

Ele disse que não há como medir esse percentual e ressaltou que especialistas divergem sobre qual percentual deveria ser atingido para proteger o restante da população, com variações entre 20% e 80% da população.

Saúde mental

Presidente da comissão, deputado Dr. Luiz Antonio Teixeira Jr. (PP-RJ) também defende a retomada com segurança das aulas, especialmente por conta do abalo psicológico das crianças e adolescentes e a falta da alimentação escolar. Ele salientou que nenhum país fechou as escolas por tanto tempo como o Brasil.

O diretor do Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas da USP, Anthony Wong, é defensor do isolamento vertical desde o início da pandemia, sem fechamento das escolas, e considera o chamado lockdown “uma política insensata”. 

Ele disse que alguns países asiáticos adotaram de forma bem sucedida essa estratégia do isolamento apenas vertical, com o uso de máscaras generalizado. 

Também favorável à volta imediata das escolas, Wong destacou que as crianças são menos suscetíveis à infecção e conseguem eliminar o vírus mais rapidamente.

Segunda onda

O médico ressaltou que, na segunda onda de contaminações na Europa, o número de mortes é proporcionalmente menor e avaliou que, se ocorrer uma segunda onda de Covid-19 no Brasil, ela ocorrerá em maio. “Temos seis meses para nos preparar e para desenvolver imunidade coletiva”, afirmou.

Ele acrescentou que a exposição ao sol e a saúde mental ajudam na imunidade, assim como o uso de máscaras, já que, dessa forma, as pessoas recebem quantidade menor de vírus e vão adquirindo imunidade.

Imunidade celular

Anthony Wong chamou a atenção para estudo da universidade britânica Imperial College de Londres, divulgado pela imprensa nesta quarta-feira, indicando que a quantidade de anticorpos adquirida contra o novo coronavírus pelas pessoas que contraíram a Covid-19 diminui substancialmente em poucos meses. 

Mas, segundo Wong, a “imunidade celular,” não detectada por meio de exames laboratoriais, é permanente.

Essa também é a visão do infectologista Paolo Zanotto, que acrescentou que casos de reinfecção por novo coronavírus devem ser raros. 

 Ele disse que há queda de anticorpos contra a doença, sim, depois de um tempo, mas isso não quer dizer que as pessoas não estejam protegidas, já que “as células de memória serão reativadas” com nova exposição ao vírus.

Vacinação

A imunologista e oncologista diretora da Sociedade Brasileira de Cancerologia e da Associação Brasileira de Mulheres Médicas, Nise Yamaguchi, também acredita que o lockdown não previne a infecção e deve ser prática adotada apenas por pessoas doentes. 

Na opinião dela, deve ser instituído “tratamento precoce” para a doença, embora ele esteja sendo proibido em alguns países da Europa.

Ela salientou que estimativas mostram que a doença tem menos de 1% de mortalidade e que hoje há mais depressão, violência doméstica e fome, por exemplo, porque as pessoas estão dentro de casa.

Sobre o “desenvolvimento acelerado de vacinas como solução possível para promover a imunidade”, ela disse que o momento é de discussão sobre a validade das vacinas, "porque elas não têm a segurança e a eficácia de longo prazo comprovada”.

Na visão da imunologista, as rígidas normas internacionais para a aprovação de vacinas deve ser seguidas também para a aprovação da vacina para Covid-19. Ela acredita ainda que é direito do cidadão não ser vacinado.

O tema é controverso na Câmara dos Deputados. Alguns parlamentares defendem a obrigatoriedade da vacina. 

Está em análise na Casa, por exemplo, o Projeto de Lei 5040/20, que prevê que a pessoa que se recusar a tomar a vacina contra a Covid-19 sofrerá as mesmas consequências de quem não vota e nem apresenta justificativa à Justiça Eleitoral.

Outros deputados acreditam que o tema não deve ser debatido num momento em que os testes ainda não foram concluídos.

Deputado salientou que nenhum país fechou as escolas por tanto tempo como o Brasil. 


Fonte: Agência Câmara de Notícias
Nome

Acidente,60,Acidente na BR-280,68,Agressão,1,Agricultura,18,Artigo de Opinião,1,Auxílio Emergencial,5,Bela Vista do Toldo,46,Brasil,498,Campo Alegre,2,Canoinhas,1622,Censura,1,Coronavírus,334,Crime,34,Crime Ambiental,6,Cultura,49,Curiosidades,33,Denúncia,1,Destaque,140,Diversidades,4,Economia,194,Educação,152,Eleições,52,Emprego,9,Entretenimento,14,Esporte,29,Estado é responsável,1,Fake News,1,Famosos,14,Feminicídio,17,Frio,1,Golpe,2,Homenagem,15,Humor,5,Incêndio,20,Inusitado,1,Irineópolis,74,Itaiópolis,75,Jaraguá do Sul,5,Joinville,35,Leilão,1,Lockdown,1,Mafra,190,Mais do mesmo,1,Major Vieira,200,Manchete,908,Matos Costa,1,Memórias,10,Minas Gerais,2,Monte Castelo,38,Nossa história,24,Notícias,5,Notícias Internacionais,70,Ocorrências Policiais,819,Papanduva,131,Paraná,313,Polícia Ambiental,104,Polícia Civil,76,Política,738,Porto União,173,Previsão do tempo,166,Redes Sociais,31,Regional,1734,Rio Canoinhas,23,Rio Grande do Sul,40,Rio Negrinho,91,Santa Catarina,1640,Santa Cecília,19,São Bento do Sul,65,São Mateus do Sul,50,São Paulo,2,Saúde,278,Segurança,1,Sério isso?,1,Solidariedade,53,Tecnologia,2,Timbó Grande,16,Tráfico,1,Tragédia em Minas Gerais,10,Tragédia no sul catarinense,1,Trânsito,3,Três Barras,608,União da Vitória,51,Utilidade Pública,334,Variedades,1140,Violência contra mulher,31,
ltr
item
Canoinhas Online: Médicos e deputados defendem volta imediata às aulas presenciais no Brasil
Médicos e deputados defendem volta imediata às aulas presenciais no Brasil
https://1.bp.blogspot.com/-Zq_bwob6HXs/X5obB5wv4uI/AAAAAAAAjxg/AgmGx-y4YNII7zvSojUiAS-CVAoLgWYfwCNcBGAsYHQ/s320/volta%2Baulas.jpg
https://1.bp.blogspot.com/-Zq_bwob6HXs/X5obB5wv4uI/AAAAAAAAjxg/AgmGx-y4YNII7zvSojUiAS-CVAoLgWYfwCNcBGAsYHQ/s72-c/volta%2Baulas.jpg
Canoinhas Online
https://www.canoinhasonline.com.br/2020/10/medicos-e-deputados-defendem-volta.html
https://www.canoinhasonline.com.br/
https://www.canoinhasonline.com.br/
https://www.canoinhasonline.com.br/2020/10/medicos-e-deputados-defendem-volta.html
true
314757626133630520
UTF-8
Carregar todas as notícias Não encontrou nenhuma postagem Ver mais Continue lendo Resposta Cancelar resposta Deletar Por Home PÁGINAS PÁGINAS Ver mais RECOMMENDED FOR YOU Resultado para ARQUIVO PESQUISAR TODAS AS NOTÍCIAS Não foi encontrada nenhuma correspondência com o seu pedido Voltar para página inicial Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sab Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutos atras 1 hora atrás $$1$$ hora atrás Ontem $$1$$ dia atrás $$1$$ semana atrás mais de 5 semanas atrás Follow Este conteúdo é Premium Compartilhe para desbloquear Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy