Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE
FALSE
TRUE
HIDE_BLOG
Textual description of firstImageUrl

Problema que se arrasta há anos em residencial leva Câmara de Canoinhas a acionar Ministério Público

Em 2017, a própria Implantec, responsável pelas obras no residencial,  admitiu que a base usada para fazer o asfalto não era apropriada. F...

Em 2017, a própria Implantec, responsável pelas obras no residencial,  admitiu que a base usada para fazer o asfalto não era apropriada. Foto: Pricila Noemberg/Arquivo

A Câmara de Vereadores aprovou requerimento direcionado ao Ministério Público Federal, solicitando providências urgentes a respeito da situação do asfalto do Loteamento Residencial Nossa Senhora Aparecida, localizado no bairro Piedade. Os problemas no asfalto surgiram antes mesmo da inauguração do residencial.

Essa já é uma antiga reivindicação dos vereadores que já encaminharam requerimentos à Caixa Econômica e a outros órgãos competentes, em razão da má qualidade da obra de pavimentação.

O loteamento teve 392 famílias colocadas em suas unidades habitacionais em outubro de 2016, e logo no início de 2017 moradores, servidores da secretária de Habitação, gestores da prefeitura e os vereadores, iniciaram um processo de solicitação para que a Construtora Implantec refizesse o asfalto de todo o loteamento. A empresa construiu o novo residencial, inclusive a pavimentação.

A vereadora Telma Bley, que é servidora da secretaria de Habitação, comentou que foram até o residencial e fizeram uma documentação de todos os problemas que estão acontecendo com a pavimentação, para serem encaminhados ao Ministério Público Federal. 

Precisamos de obras bem-feitas, e de moralização dos recursos públicos. Enviamos um ofício para engenheiros da Caixa Econômica, e como ainda não tivemos resposta nós resolvemos fazer essa denúncia junto ao Ministério Público Federal”, afirmou a vereadora Telma. 

Wilmar Sudoski lembrou que, além da pavimentação asfáltica, existe também a questão de problemas com esgoto correndo a céu aberto.

A Caixa Econômica Federal/GIHAB/Joinville, que realizou a licitação de todo o empreendimento, já recebeu um dossiê com todos os problemas apresentados no residencial para que tomasse providências junto à construtora. 

Agora, os vereadores optaram em fazer um requerimento passando todas as informações diretamente ao Ministério Público Federal, junto com documentos oficiais emitidos para a construtora, pronunciamento do engenheiro responsável pela obra, ofícios para a Caixa Econômica Federal, imagens das ruas com buracos, valetas, rachaduras e outros defeitos.