Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE
FALSE
TRUE
HIDE_BLOG
Textual description of firstImageUrl

Pais acusam empresa por estelionato e Procon de Canoinhas autua agência de modelos por suposto golpe

O Procon de Canoinhas autuou, há alguns dias, uma empresa de São Paulo que recruta e assessora modelos, cujos representantes estavam hosp...


O Procon de Canoinhas autuou, há alguns dias, uma empresa de São Paulo que recruta e assessora modelos, cujos representantes estavam hospedados em um hotel no centro da cidade.

De acordo com a cordenadora do órgão, a advogada Etienne do Prado, um grupo de pais procurou o Procon, após se sentirem lesados.

Os pais alegam que em 2017 firmaram contrato com a agência, mas apesar do contrato assinado e de valores terem sido pagos aos empresários, nada de concreto teria sido dado em troca do pagamento. 

"Os pais dizem que não houve assessoria aos seus filhos e que nenhum serviço foi, de fato, prestado”, explica a coordenadora.

Como a agência não retornava o contato dos pais, servidores do Procon, acompanhados da Polícia Militar, notificaram representantes da empresa, no hotel em que estão hospedados.

Além da notificação, um boletim de ocorrência foi registrado pela Polícia Militar tendo em vista que os pais acusam a empresa do crime de estelionato.

Notificamos a empresa para que preste os devidos esclarecimentos. Em caso de comprovação de nenhum serviço prestado deverá ocorrer, por parte da agência, a devolução dos valores pagos”, explica Etienne.

O Procon pede que o consumidor que estiver em dúvida quanto à assinatura de qualquer contrato com empresas do ramo ou que tenha se sentido prejudicado por qualquer atividade executada por elas, que procure o órgão para registrar reclamação e solicitar reparação pelos danos sofridos.

O consumidor deve estar sempre atento a tudo o que é prometido pelas agências. Algumas, de fato, são regulamentadas e possuem autorização para atuar como agências de modelo, porém isso não autoriza a referida agência a utilizar de propaganda enganosa ou abusiva, omitindo informações importantes que levem o consumidor a erro e que podem gerar algum tipo de prejuízo”, alerta.