Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE
FALSE
TRUE
HIDE_BLOG
Textual description of firstImageUrl

"Não estamos em zona de risco e não seremos o próximo epicentro do coronavírus", diz governo

André Mota Ribeiro, novo secretário da Saúde Santa Catarina, e o governador Carlos Moisés, demonstraram preocupação com a situação climát...


André Mota Ribeiro, novo secretário da Saúde Santa Catarina, e o governador Carlos Moisés, demonstraram preocupação com a situação climática no estado, durante coletiva na noite desta quarta-feira (6) e também tranquilizaram a população sobre a possibilidade de o estado ser um próximo epicentro da Covid-19.

Quanto ao clima mais frio e seco, Moisés lembrou que isso pode favorecer o contágio pelo coronavírus e também para o agravamento de doenças respiratórias já existentes.

Com previsão de temperatura cada vez mais baixas, os cuidados precisam ser redobrados, para que o estado não tenha aumento significativo no número de novos casos, inviabilizando o sistema de resposta à saúde das pessoas.

André Mota lembrou que, por conta do clima, os ambientes tendem a ser menos ventilados, favorecendo doenças que são próprias do clima mais frio, e com sintomas parecidos com a Covid-19.

Essas doenças, de síndrome respiratória de um modo geral, demandam do sistema um atendimento semelhante aos pacientes infectados com o coronavírus. Algumas podem necessitar inclusive de atendimento em UTI.

Mota afirmou que o "sistema de saúde está aí para atender todas as pessoas, não só as com Covid-19".

Santa Catarina registrou 122 novos casos em 24h, e conta com 2.917 casos confirmados de pessoas infectadas e 59 mortes decorrentes da Covid-19, de acordo com boletim atualizado nesta quarta. 154 municípios tem casos confirmados.

Moisés informou que sempre que há um óbito confirmado, que esteja relacionado a alguma síndrome respiratória aguda, ele é investigado para confirmar se a morte foi realmente em decorrência da Covid-19.

SEM PÂNICO

Tranquilizando a população, o secretário da saúde informou que "o aumento significativo de casos confirmados de coronavírus cria a falsa sensação que estamos evoluindo rapidamente, mas não é o que acontece. Nós estamos testando mais os catarinensne e percentualmente a questão do óbito está comparativamente diminuída em nosso estado em relação aos nossos vizinhos".

"Não estamos em zona de risco. Santa Catarina tem 8 óbitos por milhão de habitantes, e o Brasil, como um todo, tem 37 óbitos por milhão. Isso nos mostra que estamos no caminho certo, desde que todos continuem tomando as medidas e seguindo as orientações que são dadas", disse o secretário.

Carlos Moisés informou que, notícias recentemente divulgadas de que Santa Catarina será o próximo epicentro da Covid-19, não procede:

O aumento significativo dos casos deve-se a maior testagem da população e a números de casos ainda de fevereiro, que foram colocados no sistema. A grosso modo pode parecer que houve um acréscimo muito violento do número de casos, mas na realidade não houve.

"A nossa curva continua idêntica a que já existia, uma curva atenuada. Não houve picos, afirmou Moisés. Nossas projeções continuam as mesmas, dentro do cenário esperado. Isso deve-se ao esforço que o catarinense está fazendo, de se resguardar, porque tem a plena consciência do risco que estão correndo, enquanto que a gente vê outras regiões como se nada estivesse acontecendo, as pessoas levando a vida normalmente, o que infelizmente vai trazer um impacto na rede hospitalar, uma demanda mais aguda para a rede de saúde", finalizou.

Dados em Santa Catarina


  • A taxa de letalidade é de 2,02%. 
  • A taxa de ocupação de leitos de UTI é de 17,27%. 
  • 122 pacientes estão em leitos de UTI, sendo 61 confirmados para Covid-19 e 61 casos suspeitos
  • 71 pacientes estão em ventilação mecânica (respiradores)
  • 231 pacientes estão de alta de UTI para enfermaria
  • mais de 1,4 mil pessoas estão curadas da Covid-19.
Apesar do números favoráveis, é bom lembrar que esse vírus é altamente contagioso, e letal em certos casos. Continue se protegendo e à sua família: se puder, fique em casa. 
Se precisar sair, use máscaras, mantenha distância segura e lave ou higienize SEMPRE as mãos. Uma vida não tem preço!