Grid

GRID_STYLE
FALSE
TRUE
Textual description of firstImageUrl

Governador anuncia que vai liberar o transporte coletivo em Santa Catarina mas não define data

Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (13), o governo estadual anunciou que vai liberar os serviços de transporte coletivo em San...


Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (13), o governo estadual anunciou que vai liberar os serviços de transporte coletivo em Santa Catarina.

Segundo Moisés, além das perdas econômicas que o setor teve desde que as restrições foram impostas em março, quando foi decretada emergência no estado, a essencialidade do transporte público já foi compreendida e o retorno deve ser sancionado.

"Vamos regulamentar esse projeto, mas deverá passar por portaria específica, que vai levar tempo de adaptação. As empresas precisarão se organizar, porque não estamos numa condição de normalidade,  disse.

Uma reunião com as empresas do setor está marcada para essa quinta-feira (14), para detalhar as regras sanitárias que já foram construídas pela equipe do Centro de Operações de Emergência em Saúde (Coes).

O governador Carlos Moisés afirmou que a liberação dos transportes segue em análise pela administração estadual, mas sem prazo definido para o retorno.

"Esse é um assunto que está sendo debatido há mais de 30 dias com o setor, de forma concomitante com todas as outras atividades. Amanhã teremos mais uma reunião. Precisamos levar em conta o conceito da realidade local. Toda uma série de regramentos precisa ser construída”, destacou o governador.

Segundo o secretário da Infraestrutura, o diálogo entre o poder público e as empresas é essencial para a criação de regras que possibilitem um retorno seguro das atividades, obedecendo a critérios técnicos.

No entanto, a circulação pode não ocorrer em todas as regiões, informou o chefe do Executivo.

Ele disse que o Estado deve indicar regiões onde é possível acontecer a circulação de transporte coletivo e regiões que não são indicadas.

Segundo Moisés, além da demanda pelo serviço, indicadores de transmissibilidade e de disponibilidade de leitos locais de UTI serão levados em consideração durante elaboração da portaria:

"Nós não podemos colocar em risco tudo que construímos até aqui. É importante que se diga que é possível que algumas atividades sejam liberadas em alguns dias, como o caso de transporte coletivo, mas que não se adeque a todas as regiões do estado.

Presente na coletiva, o secretário de Saúde André Motta Ribeiro reforçou que indicadores vão embasar a portaria, para que a liberação "não nos cause danos", disse.

Mesmo que o transporte coletivo seja autorizado no estado, cada prefeito poderá manter o serviço suspenso na cidade por causa da pandemia.