Grid

GRID_STYLE
FALSE

Archive Pages Design$type=blogging$count=7

TRUE
HIDE_BLOG
Textual description of firstImageUrl

Da boleia para a UTI: caminhoneiros ficam amigos após vencerem a Covid-19

Os dois fora contaminados pelo coronavírus e ficam no mesmo quarto de UTI, em Ponta Grossa/Reprodução Ciro Zimar e Dimas Teixeira são ca...

Os dois fora contaminados pelo coronavírus e ficam no mesmo quarto de UTI, em Ponta Grossa/Reprodução
Ciro Zimar e Dimas Teixeira são caminhoneiros. Além da coincidência de ter a mesma profissão, os dois tiveram a Covid-19 e foram internados no mesmo quarto, em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no Hospital Regional de Ponta Grossa, no Paraná.

Do convívio em um leito de hospital, por quase um mês, nasceu uma grande amizade.

Segundo Dimas, ele foi o primeiro a ser internado. “Os enfermeiros me falaram: ‘Olha, seu Dimas, você vai ter um companheiro aqui’. De imediato eu pensei: ‘vai ser bom, a gente vai ficar conversando'.  Que nada, eu vi na hora que ele chegou que ele estava inconsciente.”

Apesar de estarem no mesmo quarto de UTI, a situação de Ciro era pior do que a do novo amigo.

O novo companheiro estava em estado grave e ficou o tempo todo inconsciente na UTI, tratando do novo coronavírus. 

Mesmo sem poder conhecer melhor o parceiro de quarto, Dimas tinha um carinho por ele e queria poder ajudar de alguma forma o outro caminhoneiro.

—Então não tinha com quem conversar, eu ia tomar banho, passava nos pés da cama dele, olhava para ele, pedia a Deus para devolver a saúde para ele, para ele voltar para a casa. Eu saí da UTI, fui para a recuperação, e ele ficou lá, mas eu sempre estava perguntando dele.

Vencedores! Ciro recebeu uma medalha após 23 dias em estado grave na UTI, e Dimas foi aplaudido na saída do hospital.

Após 23 dias na UTI, Ciro contou que recebeu alta e ganhou uma medalha pela bravura de enfrentar a doença. Além disso, fez questão saber quem era o “famoso amigo de quarto”, que os enfermeiros tanto falavam.

—Uma pessoa que nunca me viu na vida, viu a situação que eu estava e pediu oração, pediu para muita gente, que nem me conhece, para orar por mim. Eu agradeço a ele, de verdade. Quero um dia conhecê-lo, dar um nele — revelou Ciro.

Pós-pandemia


Ainda em isolamento social, os dois têm conversado pela internet e mantém a amizade. Inclusive, disseram que têm planos para quando a pandemia acabar.

—Já combinamos de fazer um churrasco. Passar os momentos bem melhor do que nós passamos lá no hospital e comemorar a saúde dele e a minha — contou Ciro.
— E já estou sentindo o gosto da costela, brincou dimas.