Grid

GRID_STYLE
FALSE

Archive Pages Design$type=blogging$count=7

TRUE
HIDE_BLOG
Textual description of firstImageUrl

Autora de fake news sobre caixões vazios se entrega e pode pegar até 9 anos de prisão, em BH

Mulher que aparece noo vídeo diz que o insinuando que o prefeito estaria autorizando o enterro de caixões sem corpos. Foto: Portal R7/Repr...

Mulher que aparece noo vídeo diz que o insinuando que o prefeito estaria autorizando o enterro de caixões sem corpos. Foto: Portal R7/Reprodução
Em Belo Horizonte, a Polícia Civil estava trabalhando para identificar a autora de um vídeo fake que circula pelas redes sociais, quando, nesta terça-feira (5), a mulher se apresentou à polícia, acompanhada de um advogado, e pediu desculpas.

No vídeo em questão, em tom de deboche, a mulher, já identificada pela polícia, diz que Belo Horizonte está "infestado de coronavírus" e que caixões foram enterrados com pedras e madeiras, e completa com "isso a Globo não mostra":

" Aqui em Minas está acontecendo um caso muito engraçado. Principalmente em BH. Você sabe quem é o prefeito de BH, né? Estão enterrando um monte de gente com coronavírus em BH. A própria familia está enterrando, para não ter aglomeração. Mandaram ir lá e arrancar todos os caixão para poder fazer o exame para ver se é coronavírus mesmo. E sabe o que tem dentro dos caixão? Pedra e madeira. Palhaçada não é não?, diz ela no vídeo.

Segundo a polícia, ela pode pegar até 9 anos de prisão mais multa. Foto: Daniela Mallmann/UOL

De acordo com o delegado Wagner Sales, responsável pelas investigações, a autora do vídeo pode responder por três crimes: denunciação caluniosa, difamação contra o prefeito de Belo Horizonte, que é citado na filmagem, e pela contravenção penal de propagação de pânico – o que pode culminar em até 9 anos de prisão.

O que a gente precisa é saber os motivos, o porquê desse tipo de conduta no momento em que a sociedade passa por tanta dificuldade. As pessoas sofrem com as consequências econômicas e sanitárias do coronavírus e uma pessoa, de forma irresponsável e criminosa, vem nas redes sociais produzir, publicar e propagar esse tipo de vídeo”, afirmou o delegado.

A autora se apresentou em um município no sul de Minas Gerais, com seu advogado.

"Valdete reconhece humildemente o erro e pede perdão ao município de Belo Horizonte e seu ilustre prefeito e a todos quantos foram atingidos negativamente por este equívoco", disse o advogado. 

Segundo a Polícia Civil de Minas Gerais, a retratação dela não interrompe as investigações que estão em curso.

Além da prisão, ela ainda poderá pagar multa, com valor a ser estipulado pelo juiz.