Grid

GRID_STYLE
FALSE

Archive Pages Design$type=blogging$count=7

TRUE
HIDE_BLOG
Textual description of firstImageUrl

"Não foi acidente, foi assassinato", dizem policiais que atenderam ocorrência em Blumenau

Elaine Paim voltava do trabalho em uma Honda Biz quando foi atingida pelo veículo e morreu no local/Reprodução A morte de uma mulher, o...

Acidente em Blumenau
Elaine Paim voltava do trabalho em uma Honda Biz quando foi atingida pelo veículo e morreu no local/Reprodução
A morte de uma mulher, ocorrida na noite de sexta-feira (17) em Blumenau, não só chocou pela violência de como aconteceu, como pelos fatos que se seguiram após o 'acidente de trânsito'.

"Não foi acidente, foi assassinato", disseram policiais que atenderam a ocorrência, em uma postagem nas redes sociais neste sábado (18), que posteriormente foi apagada, talvez por conter palavras fortes, mas que mostravam total indignação sobre o comportamento do jovem causador do acidente, que resultou na morte de Elaine Duarte Paim, de 44 anos.

"O jovem estava totalmente 'chapado', dizia a postagem, "e mostrou-se mais preocupado com o estrago no veículo do que com a vida que acabara de tirar".

Foto: PMRv/Divulgação
O jovem em questão, de 24 anos, dirigia um Audi A5, quando bateu frontalmente em uma Honda Biz, que era conduzida pela vítima, e voltava do trabalho.
Elaine Paim foi arremessa a vários metros e morreu no local.

Foto: Bombeiros/Divulgação
Mesmo com o atropelamento, o jovem tentou fugir, mas bateu em um muro logo depois. Populares impediram a saída dos ocupantes do veículo até a chegada da Polícia Militar.

Foto: Polícia Militar
Segundo a PM, além de observarem resquícios de cocaína no nariz do homem, também encontraram papelotes da droga no interior do veículo.

Na abordagem, o condutor admitiu ser dependente químico e confessou ter consumido a substância antes de causar o acidente. Ele acabou preso em flagrante e foi conduzido à Delegacia.

Na Central de Polícia,  foi autuado em flagrante pelo delegado Filipe Martins Alves Pereira.

Ele foi autuado por homicídio culposo na direção de veículo automotor, na forma qualificada, em razão de estar com a capacidade psicomotora alterada, além de ter sido autuado também pela fuga do local do acidente, sem prestar socorro - disse o delegado. 

SOLTURA SOB FIANÇA

Em audiência de custódia realizada remotamente neste sábado (18), apesar do flagrante, o acusado poderá responder em liberdade se pagar fiança estipulada em cerca de R$ 31 mil reais.

A juíza de plantão, Camila Murara Nicoletti, determinou a soltura do suspeito “acompanhada de medidas cautelares rigorosas que garantam a ordem pública e o andamento do processo”, conforme o documento.

Entre as medidas estão o pagamento de fiança no valor de 30 salários mínimos; suspensão da carteira de habilitação (CNH), recolhimento noturno, proibição de se ausentar da comarca em que reside e de alterar endereço sem comunicar ao juízo.

Na hora do depoimento, o jovem estava acompanhado de um advogado, que alegou que seu cliente faz uso de medicações, que está em tratamento psiquiátrico e que não tinha condições de responder aos questionamentos da polícia.

O suspeito, de acordo com o Vale do Itajaí Notícias, é Richard Adolfo Ziehman, natural de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, mas mora em Florianópolis. 
A motociclista também era gaúcha. Ela será velada e sepultada na cidade de Caxias do Sul.

Eu nem enterrei a minha irmã ainda e o motorista já pode ser solto. Essa é a nossa Justiça brasileira - disse Rosane Duarte Paim, irmã da vítima, que está providenciando o translado do corpo para o Estado vizinho.