Grid

GRID_STYLE
FALSE
TRUE
Textual description of firstImageUrl

Homem que assassinou diretora de escola em SC é encontrado morto na prisão

Elenir dava aulas há 16 anos na escola Januária Teixeira da Rocha e tinha assumido a função de diretora da unidade de ensino em janeiro de...

Elenir dava aulas há 16 anos na escola Januária Teixeira da Rocha e tinha assumido a função de diretora da unidade de ensino em janeiro deste ano. Foto/Reprodução
O suspeito (a lei diz que é só "suspeito" enquanto não for julgado e condenado) de ter assassinado a facadas a diretora de uma escola estadual em Florianópolis, na última quarta-feira (19), foi encontrado morto dentro da cela da prisão.

O homem, de 39 anos, era ex-namorado de  Elenir de Siqueira Fontão, de 49 anos, que foi surpreendida pelo ex, dentro da unidade escolar, logo após o término das aulas.

Ele rendeu a vítima com um faca, se trancou no banheiro e a esfaqueou. Policiais disseram que precisaram usar a força progressivamente para render o agressor, já que ele resistiu à prisão e tentou fazer com que os agentes atirassem nele.

Ele estava com um ferimento no abdômen e marcas de luta corporal e foi levado ao hospital. Na saída da unidade hospitalar, foi autuado.

O Departamento de Administração Prisional (Deap)  informou que por volta das 6h da manhã deste domingo (23), ele foi encontrado morto na cela onde estava sozinho, na Penitenciária de Florianópolis

A causa da morte não foi divulgada pelo Deap, que informou em nota que "todas as providências legais e periciais foram tomadas".

Conforme a Polícia Civil, Elenir já tinha registrados boletins de ocorrência  contra o ex. Os dois B.O.s contra ele foram registrados em Palhoça, na Grande Florianópolis, cidade onde ele morava. 

O primeiro foi registrado em novembro de 2017 por ameaça, enquanto o segundo, em novembro de 2019, também foi por ameaça e ainda pelo furto do carro dela.