Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE
FALSE
TRUE
HIDE_BLOG
Textual description of firstImageUrl

No oeste catarinense, aparecimento de javalis pode levar à liberação da caça para controle populacional

O javali é um animal exótico que não tem predador. O aparecimento de javalis na região de Chapecó, no Oeste catarinense, tem preocupado ...

O javali é um animal exótico que não tem predador.
O aparecimento de javalis na região de Chapecó, no Oeste catarinense, tem preocupado os produtores rurais. Na última quinta-feira (26), foi realizada na cidade uma reunião entre várias entidades para pensar soluções para o problema.

Foi determinado primeiramente que deverá ser feito um diagnóstico da situação, um levantamento de animais avistados, informou o vice-presidente regional da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), Ricardo Lunardi.

A reunião ocorreu entre representantes de vária entidades e clubes de tiro, onde há pessoas habilitadas para fazer a caça desses animais.

Pelo o que ficou decidido, conforme Lunardi, quando o produtor for fazer a Guia de Trânsito Animal (GTA) ou for até a Secretaria de Agricultura de Chapecó, será perguntado se viu algum javali na propriedade.

—Se viu, vai responder a questionários e informar a localização. Será colocado tudo em GPS, para se fazer o mapa das regiões onde estão ocorrendo os javalis, explica Lunardi. A iniciativa vale para a cidades de Chapecó e as vizinhas Coronel Freitas, Nova Itaberaba, Caxambu do Sul, Guatambu, Cordilheira Alta e Planalto Alegre.

Quando for identificada uma comunidade com uma quantidade significativa do animal, começa a etapa de controle. "Vamos direcionar as ações para aquela região. Antes, haverá uma reunião com a comunidade explicando o que vai acontecer, quem os produtores podem permitir entrar para caçar ou botar armadilha", diz Lunardi.

A ideia é que as pessoas habilitadas para a caça entrem nas propriedades rurais para ajudar no controle populacional dos javalis.

Antes, a Polícia Militar Ambiental passará orientações aos produtores em reunião feita na própria comunidade.

Os javalis no Brasil são em sua maioria híbridos do cruzamento com o porco doméstico, podendo apresentar crescimento populacional ainda maior, pois podem ter herdado do porco a capacidade de gerar proles mais numerosas.


Lunardi afirma que a espécie começou a aparecer em Chapecó há cerca de três anos. Não se sabe quantos estão na região.

É um animal exótico que não tem predador. Causa um dano ambiental tremendo, acaba com ovos, com outros animais silvestres e com as lavouras, diz Lunardi. 

Até agora não houve relatos de brigas de javalis com outros animais da região. Porém, em Lages, na Serra catarinense, eles chegaram a atacar ovelhas.

Nas lavouras, os javalis comem adubo e sementes. Eles também comem milho e trazem prejuízos aos produtores dessa lavoura. 

Em relação à fauna, eles se alimentam também de espécies de animais rasteiras e de ovos de aves. Segundo Lunardi, podem causar um desequilíbrio ambiental.