Grid

GRID_STYLE
FALSE

Archive Pages Design$type=blogging$count=7

TRUE
HIDE_BLOG
Textual description of firstImageUrl

Sequestro de criança ocorrido em SC é retratado em série do canal Discovery

Criança foi entregue aos pais após passar cinco dias em cativeiro/Reprodução A série crimes.com, do canal Discovery, relembrou no último...

Criança foi entregue aos pais após passar cinco dias em cativeiro/Reprodução
A série crimes.com, do canal Discovery, relembrou no último sábado (13) o caso de sequestro de um menino de nove anos, ocorrido em 2014, em Santa Catarina.

O programa contou com a participação do delegado da Delegacia de Roubos e Antissequestro da Diretoria Estadual de Investigações Criminais, Anselmo Cruz, que comandou a investigação na época.

O sequestro durou cinco dias, o menino foi libertado com vida, os sequestradores presos e condenados.

A série mostra golpes e crimes digitais ocorridos por meio da internet.

O Sequestro

O menino foi capturado em uma quinta-feira, em maio de 2014, aproximadamente às 19h30, no momento que brincava com um patinete motorizado, na rua da casa em que morava.

O primeiro pedido de resgate foi feito 30 minutos depois do sequestro, quando os criminosos solicitaram R$ 500 mil em dinheiro. No outro dia, o valor foi aumentado para R$ 600 mil.

A criança foi levada para um cativeiro em Penha, no Litoral Norte, cerca de 32 quilômetros de distância do local onde foi sequestrado.

Prisão dos criminosos

Os mentores do sequestro, Peterson da Silva Machado, 30 anos, e Rosicleide Rodrigues, 32 anos foram presos. Peterson foi preso em Brusque na manhã do dia 3 de junho. Ele estava comprando um carro para a fuga do grupo.

Após ser detido, confirmou a participação no crime e levou a polícia até o cativeiro – avisando que no local estava outro casal armado.

Casal foi preso e condenado pelo sequestro. Polícia Civil/Divulgação

Uma equipe da polícia chegou ao local e estourou o cativeiro. Aconteceu uma troca de tiros, o casal que estava na casa foi morto e o menino, recuperado.

Por volta do meio dia, a criança foi entregue aos pais no município de Ilhota.

Sequestrador diz ter planejado crime com informações de rede social

Em depoimento à Polícia Civil, Peterson afirmou ter planejado o sequestro do menino com base em informações disponibilizadas em uma rede social.

"No Facebook mostra tudo. Foi coisa de [planejei em] 10 dias, no máximo. Se vocês puxarem lá vão ver como mostra tudo da vida pessoal. Mostra até dentro da casa deles".

Ele ainda afirmou ter descoberto a escola do menino e o trabalho do pai pela rede social. Daí então comecei a 'fuçar' nos negócios", falou.

Identidade falsa

O casal Peterson e Rosicleide já tinha extensa ficha criminal. Peterson tinha quatro mandatos de prisão por assalto em aberto, na época, todos praticados no Sul do estado.

Ao mudar-se para Indaial, no Vale do Itajaí, usou uma identidade falsa com o nome de ‘Petroson’. Na cidade, causou uma briga em um bar e foi preso por 15 dias. Peterson é natural do Pará, mas na identidade falsa constava que era mineiro.

Já Rosicleide tinha cadastrados boletins de ocorrência por extorsão, ameaça, perturbação e estelionato. Entretanto, nunca foi presa.

Em abril de 2015 Peterson foi condenado a 34 anos, dois meses e 20 dias de reclusão, em regimefechado, e Rosicleide a 20 anos de reclusão, também em regime fechado.

Peterson fugiu do Complexo Penitenciário São Pedro de Alcântara, na Grande Florianópolis, em 14 de dezembro de 2018.