Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE
FALSE
TRUE
HIDE_BLOG
Textual description of firstImageUrl

Reintegração de posse deixa cerca de dezesseis famílias sem moradia em Canoinhas

Na tarde desta quinta-feira (13), por ordem judicial, cerca de 16 famílias deveriam ser despejadas de suas residências, no local conhecid...


Na tarde desta quinta-feira (13), por ordem judicial, cerca de 16 famílias deveriam ser despejadas de suas residências, no local conhecido como vila da Esquadrias São José, empresa que encerrou suas atividades há mais de 20 anos, no bairro Campo da água Verde em Canoinhas.

Com débitos tributários, a área de 43 mil metros quadrados foi à leilão judicial em julho de 2018.  Oficiais de Justiça, com o apoio da Polícia Militar, cumpririam mandando de reintegração de posse.

Com a grande repercussão do caso, o Governo do Município de Canoinhas anunciou que vai subsidiar aluguel social às famílias que seriam despejadas.

O prefeito Beto Passos disse que compreende o papel da Justiça: "mas não queríamos que elas fossem retiradas assim".

Depois de muita negociação com a empresa, conseguimos prazo até o dia 28 de junho para que elas sejam removidas de maneira digna. Não podemos admitir que elas sejam retiradas de casa por força policial", declarou Passos.

Prefeito negociou para que a ordem de despejo não fosse cumprida a fim de que os moradores pudessem sair gradativamente ao longo dos próximos dias.

Estamos nos comprometendo a pagar aluguel social e encontrar um local digno para que estes canoinhenses possam construir seus lares", diz Passos.

Pelo levantamento da Secretaria de Habitação, 16 unidades habitacionais vão receber os moradores. Os detalhes serão definidos por projeto de lei que será encaminhado à Câmara Municipal para apreciação ainda nesta sexta-feira.

Presidente Célio Galeski se comprometeu em fazer as sessões extraordinárias para votar a matéria", afirmou Passos.