Pesquisar neste site

Apenas Português e Matemática terão carga horária obrigatória nos 3 anos do ensino médio


O Conselho Nacional de Educação aprovou nesta terça-feira (4) a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o ensino médio.

A base define o conteúdo mínimo que os estudantes de ensino médio de todo o Brasil deverão aprender em sala de aula, e deve ser implementada em cada estado conforme as realidades locais.




Português e matemática serão obrigatórios nos 3 anos.  Antes, as únicas disciplinas listadas por lei como obrigatórias nos três anos do ensino médio eram português, matemática, artes, educação física, filosofia e sociologia.

Segundo Eduardo Deschamps, presidente da comissão da BNCC no CNE, o documento aprovado permite maior flexibilidade às escolas na distribuição dos conteúdos de maior parte das disciplinas. "São 4 áreas (de conhecimento), sendo que português e matemática ganham destaque porque estarão nos 3 anos do ensino médio"

O que muda no ensino médio?

  • Matemática e português terão carga horária obrigatória nos três anos do ensino médio;
  • Demais conhecimentos poderão ser distribuídos ao longo destes três anos (seja concentrado em um ano, ou em dois, ou mesmo em três)
  • Os currículos estaduais devem ser adaptados e implementados até o início das aulas de 2022.
"O trabalho com o estudante do ensino médio não será mais aplicado em disciplinas, mas sim na resolução de problemas".

"Em vez de estudar especificamente uma disciplina de física ou química, eu posso tratar de um problema de matemática e meio ambiente, aplicar os conhecimentos conjugados. A organização curricular deixa de ser estanque e passa a ser mais focada no cotidiano", afirmou Deschamps.

Reforma do ensino 

A reforma estabeleceu um currículo baseado em cinco itinerários:

  1. linguagens e suas tecnologias
  2. matemática e suas tecnologias
  3. ciências da natureza e suas tecnologias
  4. ciências humanas e sociais aplicadas
  5. formação técnica e profissional

Com a reforma, ficou estabelecido que as escolas poderiam escolher como iriam ocupar 40% da carga horária do ensino médio. Os demais 60% seriam estabelecidos pela BNCC.

A reforma também prevê mais escolas em tempo integral. A meta 6 do Plano Nacional de Educação (PNE), que prevê que, até 2024, 50% das escolas e 25% das matrículas na educação básica (incluindo os ensinos infantil, fundamental e médio) estejam no ensino de tempo integral.