Pesquisar neste site

Santa Catarina perderá médicos cubanos que atuam em cerca de 200 municípios do estado

Cuba manda profissionais para o Brasil desde o início do programa Mais Médicos em 2013. O programa atende cerca de 63 milhões de brasileiros, de acordo com o Ministério da Saúde.

Em Santa Catarina, os médicos cubanos atuam desde 2014. A decisão do governo de Cuba, na quarta-feira (14), de sair do programa social Mais Médicos, deve afetar cerca de 200 municípios catarinenses, onde atuam aproximadamente 250 profissionais cubanos.


Os números são da Comissão Estadual do Mais Médicos no estado. Conforme o coordenador da comissão, Paulo Orsini, "eles receberam um comunicado do Ministério da Saúde de Cuba para voltarem quando receberem a passagem aérea". 
Ele acredita que esse trâmite deve ocorrer em 10 a 20 dias.





Em nota, o governo do país caribenho citou "referências diretas, depreciativas e ameaçadoras" feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro à presença dos médicos cubanos no Brasil.
"Essas condições inadmissíveis impossibilitam a manutenção da presença de profissionais cubanos no Programa", diz a nota.

Na campanha, Bolsonaro disse que expulsaria médicos cubanos com base na prova Revalida. Afirmou que 'ditadura cubana' demonstra 'irresponsabilidade' e explora seus cidadãos.

Bolsonaro disse ainda que "além de explorar seus cidadãos ao não pagar integralmente os salários dos profissionais, a ditadura cubana demonstra grande irresponsabilidade ao desconsiderar os impactos negativos na vida e na saúde dos brasileiros e na integridade dos cubanos". 

O presidente eleito acrescentou que "Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares".

De acordo com, a empresa de comunicação internacional alemã DW, Havana lucra algo em torno de US$ 7.8 bilhões anuais através da exportação de trabalhadores da saúde.




A atuação dos médicos cubanos no Brasil gera polêmica desde a criação do Mais Médicos. No entanto, o programa contrata profissionais de várias nacionalidades, e não apenas cubanos.

Em Santa Catarina, em torno de 570 médico atuam pelo programa. Cerca de 30 deles são estrangeiros de outras nacionalidades. O restante é de brasileiros formados no país ou no exterior.

Futuro


A Comissão Estadual do Mais Médicos no estado aguarda decisão do governo federal em relação ao atendimento à população.

O Ministério da Saúde informou na quarta-feira (14), que lançará nos próximos dias um edital para convocar médicos que queiram ocupar as vagas a serem deixadas pelos profissionais cubanos do programa Mais Médicos.