Monitores e tubos de TV são encontrados na região ribeirinha do São Cristóvão

Monitores e tubos de TV dispensados irregularmente em região ribeirinha do São Cristóvão
Catadores de recicláveis recebem orientações sobre como armazenar e destinar materiais não utilizados

Mesmo sendo crime ambiental e passível de punição, a dispensa irregular de resíduos sólidos é uma prática bastante comum em Três Barras, principalmente, no distrito de São Cristóvão.

No ano passado, por exemplo, ações da prefeitura recolheram mais de quatro toneladas de lixo jogados no entorno da ponte que liga o distrito a Marcílio Dias, em Canoinhas.

Com as inundações das regiões ribeirinhas do São Cristóvão, durante este mês, observou-se que um grande volume de lixo foi parar nos rios que banham a cidade, em especial, o Canoinhas.

Lixo jogado às margens do Rio Canoinhas.
Diante da série de denúncias recebidas e confirmadas sobre os resíduos jogados em locais impróprios, é que a Defesa Civil Municipal e Vigilância Sanitária Municipal, em parceria com Intendência Distrital, tomaram a iniciativa de prestar orientações às famílias que trabalham com a reciclagem.

A ação começou na terça-feira (30) pelos catadores residentes na Rua Etelvina Pires (Rua Velha), nas proximidades da Serraria do Leandro e da Rua Ernesto Lourenço Schütt (antiga Beija Flor).

Durante as visitas, os profissionais repassaram informações sobre o correto armazenamento e destinação dos materiais não utilizados na reciclagem.

A Vigilância Sanitária, a partir de agora, irá intensificar as fiscalizações devendo realizá-las semanalmente. Quem descumprir as orientações propostas poderá sofrer as medidas corretivas de acordo com a legislação vigente.

A decisão é defendida pela coordenadora municipal da Defesa Civil, Adrielle da Costa, e pelo intendente distrital Jacob Scheuer. “Sabemos que as famílias vivem daquilo que coletam e reciclam, mas também é preciso ter um compromisso com a preservação do meio ambiente”, observaram.

Eles lembram que, no período de chuvas, a prefeitura teve que contratar uma empresa especializada para recolher e dar destino correto a uma grande quantidade de tubos e monitores de TV dispensados irregularmente nas proximidades da Rua Etelvina Pires.