Alerta: 75 municípios catarinenses estão infestados com o mosquito Aedes aegypti


A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC) divulgou boletim sobre a situação da vigilância do Aedes aegypti e a situação epidemiológica de dengue, febre de chikungunya e zika vírus, de 31 de dezembro de 2017 a 27 de outubro de 2018.

Nesse período já foram identificados 13.249 focos do mosquito Aedes aegypti em 156 municípios catarinense.




Em relação à situação entomológica, já são 75 municípios considerados infestados, o que representa um aumento de 22,9% em relação ao mesmo período de 2017, que registrou 61 municípios nessa condição.
A definição de infestação é realizada de acordo com a disseminação e manutenção dos focos.


Já foram registrados, este ano, 16 casos de febre chikungunya, sendo quatro autóctones (contraídos dentro do Estado).

O Estado contabiliza ainda 57 casos de dengue, sendo que 33 foram contraídos dentro de SC, 26 em Itapema, seis em Balneário Camboriú e um em Camboriú.

Já em relação ao zika vírus, um caso importado foi confirmado em um morador de Piratuba, no Meio-Oeste, que teria contraído a doença no Mato Grosso.
Orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti: 

  • evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda; 
  • guarde garrafas com o gargalo virado para baixo; 
  • mantenha lixeiras tampadas; 
  • deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água; 
  • plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água; 
  • trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana; 
  • mantenha ralos fechados e desentupidos; 
  • lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana; 
  • retire a água acumulada em lajes; 
  • dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados; 
  • mantenha fechada a tampa do vaso sanitário; 
  • evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue; 
  • denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde; 
  • caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para o atendimento.