Cidades catarinenses registram estragos com passagem de ciclone extratropical

SC registra destelhamentos e quedas de árvores após fortes rajadas de vento. Felizmente o ciclone perdeu força ao se aproximar da costa do Sul do Brasil, evitando maiores danos.

Queda de árvore em Criciúma. Foto: Defesa Civil de SC
Fortes rajadas de vento provocaram destelhamentos e quedas de árvores no Sul catarinense na tarde deste sábado (27).

De acordo com a Defesa Civil, foram registrados estragos em Araranguá, Criciúma, Tubarão, Capivari de Baixo e Jaguaruna. No Vale do Itajaí, em Ascurra, o telhado de uma loja de material de construção desabou.

O ciclone provocou rajadas de vento forte em algumas regiões do Estado. As maiores foram em Jaguaruna (69 km/h), Criciúma e São Bonifácio (67 km/h) e Siderópolis (66 km/h).



Outras cidades tiveram rajadas entre 50 e 59 km/h: Lages, Campo Belo do Sul, Curitibanos, Balneário Barra do Sul, Itajaí e Major Vieira.


Queda de poste na entrada de Jaguaruna. Foto: Celesc/Divulgação
Em Araranguá, duas casas tiveram destelhamentos de pequeno porte. Também houve a queda de uma árvore pequena, sem danos materiais.

Em Tubarão, o vento derrubou o material de uma obra. O local foi isolado.

Uma árvore caiu sobre os fios da rede elétrica de Jaguaruna. Postes também foram derrubados pelo vento. Em Criciúma, uma árvore caiu sobre os fios da rede elétrica e um carro no bairro Brasília.

O telhado de uma loja de material de construção em Ascurra, no Vale do Itajaí, desabou. Clientes e funcionários conseguiram sair a tempo.
O órgão relacionou o caso à passagem do ciclone extratropical pelo estado.

Telhado da loja de material de construção em Ascurra


Em nenhuma das ocorrências houve registro de feridos.
Felizmente o ciclone perdeu força ao se aproximar da costa do Sul do Brasil, evitando maiores danos.
Segundo a Defesa Civil, o ciclone vai continuar sobre o mar mantendo as rajadas de vento de 50 a 60 km/h no Litoral de SC diminuindo no decorrer da madrugada deste domingo (28).
Aos poucos ao longo da manhã do domingo o vento acalma.