Público prestigia palestra sobre Violência contra a mulher, em Canoinhas

Compartilhe:
Palestra “Prevenção e Enfrentamento a Violência contra a Mulher” lotou o plenário com a presença de público de toda região.
Realizada na última quarta-feira (05) na Câmara de Vereadores de Canoinhas, a palestra “Prevenção e Enfrentamento a Violência contra a Mulher” lotou o plenário com a presença de público de toda região.
O evento, gratuito, reuniu lideranças, mulheres e homens de Canoinhas e municípios vizinhos. 

O encontro teve como principal objetivo apresentar dados sobre a violência contra a mulher no Brasil e também com dados relevantes no estado de Santa Catarina e região. A palestrante Érica Paes, também conversou com as mulheres presentes no evento sobre as possibilidades de defesa, de denunciar e combater esse tipo de violência

Érica é pentacampeã brasileira e campeã mundial de jiu-jitsu, ex-lutadora de MMA, fundadora do projeto social “Eu sei me defender”, atriz da Rede Globo de Televisão e assessora especial da SNPM. Érica é formada em Educação Física e Serviço Social, proferindo palestras sobre o combate à violência contra a mulher em todo o Brasil.




Projeto de Lei

Também foi aprovado no mês de julho na Câmara de Vereadores de Canoinhas projeto de Lei voltado à proteção da mulher, criança, adolescente e idoso em situação de violência, de autoria do vereador Coronel Mário Renato Erzinger (PR).

O “Projeto de Prevenção da Violência Doméstica com a Estratégia de Saúde da Família”, visa por meio da atuação preventiva dos Agentes Comunitários de Saúde, desencadear ações e estratégias que contribuam com a prevenção de ocorrência ou agravo da violência doméstica e familiar contra as crianças, adolescentes, mulheres e idosos. 

O projeto será realizado pela secretaria municipal de Saúde de forma articulada com outros setores especializados na prevenção e acompanhamento, garantindo também a participação de outros órgãos ou entidades que tem a mesma finalidade.

“Esse projeto tem como objetivo principal prevenir e combater as violências física, psicológica, sexual, moral e patrimonial, buscando erradicar todos os tipos de violência doméstica e familiar”, explica o autor.

O projeto destaca ainda que os agentes de saúde terão o dever de informar as autoridades competentes sob situações de risco que verificar, mesmo que haja apenas suspeitas, e quando solicitado, poderão auxiliar os órgãos de proteção às crianças, adolescentes, mulheres e idosos.