Mais um problema em Canoinhas: crianças conduzindo carroças para coletar lixo reciclável


Um problema recorrente no centro e bairros de Canoinhas foi discutido durante sessão de terça-feira (04), na Câmara de Vereadores. É bastante comum ver crianças com idade entre 10 e 14 anos conduzindo carroças para coleta de lixo reciclável.

O assunto entrou em discussão quando o vereador Paulo Glinski (PSD) comentou receber imagens de crianças conduzindo as carroças. “Recebi as imagens do senhor Jackson Padilha, que também demonstrou preocupação quanto ao assunto”, destacou.




Glinski ainda comentou que chama a atenção de crianças estarem conduzindo carroças cheias de papelão e outros lixos recicláveis, e animais profundamente maltratados puxando as carroças.
Claro que essas famílias estão buscando o seu sustento, mas temos dois agravantes nesta situação... as crianças conduzindo carroças e os animais subnutridos”, justificou.

Foi ainda indagado se as crianças que trabalham com as carroças estão estudando, devidamente matriculados em escola e se os pais sabem da situação, ou as secretarias responsáveis estão acompanhando esses casos.

Glinski sugeriu realizar um requerimento solicitando ao poder executivo municipal, levantamento de quem são essas pessoas que fazem a coleta, como está a situação da família, e se é atendida por algum tipo de programa social, ou se também são de Canoinhas ou município vizinho, ou ainda, ligadas a algum órgão que dê segurança e apoio às famílias.

Vereadora Telma Bley (MDB) explicou que muitas situações que antes estavam irregulares com os catadores, foram, através de um trabalho da secretaria de Assistência Social, regularizados. “Já existe um cadastro de catadores, que em sua maioria residem no Vila Verde e Campo D’ Água Verde”, destacando também que algumas carroças vem do distrito São Cristóvão.

Telma ainda destacou o trabalho feito pela secretaria de Meio Ambiente, que está atuando ativamente na associação de catadores. 
Com isso pode ser feito um levantamento das famílias que estão trabalhando corretamente e quais as crianças que estão conduzindo as carroças sem o acompanhamento de um adulto”, finalizou.