Ex-namorado que matou grávida de seis meses em Santa Catarina é condenado a 30 anos

Francielle, grávida de seis meses, foi morta pelo ex-namorado que não aceitava a gravidez/Reprodução
Rafael Santos Ambrósio, de 34 anos, foi condenado a 30 anos de prisão em regime inicial fechado, pela morte da ex-namorada, grávida de seis meses, em Navegantes.

O crime aconteceu em novembro de 2015. O corpo de Francielle Sena de Oliveira, de 19 anos, foi encontrado na faixa de areia da praia do Gravatá, às 6h15 com marcas de violência no pescoço e nas mãos.
Segundo o laudo do Instituto Geral de Perícias (IGP), ela foi morta por estrangulamento.

De acordo com o MP, Rafael não aceitava o fato de ela estar grávida e, como ela se recusou a fazer aborto, ele decidiu matá-la. Ele marcou um encontro com a jovem no Centro de Itajaí, onde ambos moravam, e depois a levou até Navegantes, onde a asfixiou e abandonou na praia.



Rafael passou por três julgamentos. No primeiro, em 2016 ele recorreu da decisão conseguiu anular o júri.

No segundo julgamento, em 2017, ele foi condenado pelo homicídio triplamente qualificado e pelo aborto. Ele recorreu novamente e conseguiu nova anulação.

Rafael Santos Ambrósio/Reprodução
Neste terceiro julgamento, o Conselho de Sentença do Tribunal do Júri de Navegantes considerou Rafael culpado pelo homicídio de Francielle e pelo aborto.

Ele foi condenado por homicídio triplamente qualificado, já que foi praticado por motivo torpe, com asfixia e dissimulação, e pelo aborto, pois o bebê também morreu.
À decisão cabe recurso, mas ele não poderá recorrer em liberdade.