Hospital Santa Cruz alerta para incidência de doenças respiratórias agudas

Compartilhe:
Estamos no período de maior incidência de doenças respiratórias agudas, sendo que as crianças menores de 6 meses são as com mais risco de desenvolver uma infecção respiratória de maior gravidade.

O principal causador dessas doenças é o VÍRUS SINCICIAL RESPIRATÓRIO, que pode atingir todas as idades, porém as crianças abaixo de 2 anos são as que mais sofrem com essa doença.

O modo de transmissão se dá por secreções respiratórias de pacientes contaminados, como tosse ,espirro, onde são eliminados gotículas diretamente nas pessoas, e também por objetos contaminados com essas gotículas.


O período de incubação (após a contaminação, tempo que iniciam os sintomas) é de 4 a 5 dias e o de transmissão do vírus (tempo que o paciente contaminado transmite) está entre 2 a 8 dias.

A manifestação é similar a da gripe, apresentando tosse, coriza, falta de apetite e ocasionalmente febre baixa. É importante ficar atento aos sinais de alerta, e procurar o médico para examinar e orientar o paciente.

SINTOMAS

-febre alta
-respiração “curta”, ofegante
-recusa alimentar principalmente em bebês abaixo de 6 meses, podendo levar a desidratação
-apresentando pouca eliminação de urina,
gemência
-e idade inferior a três meses.

Como não há tratamento específico, devemos reforçar a PREVENÇÃO!

MEDIDAS DE PREVENÇÃO 

-higiene frequente das mãos com sabonetes ou álcool 70%
-limitar exposição de crianças pequenas em locais de maior risco de contaminação, como locais com grande número de pessoas, supermercados, festas, etc...
-evitar contato de pessoas doentes principalmente com as crianças pequenas.
-Retardar a entrada de crianças pequenas em creches e berçários durante o período de maior incidência das doenças respiratórias, que aqui na nossa região vai de abril a agosto, se possível.
-Estimular aleitamento materno!!!
-Evitar tabagismo passivo!!!
-Vacinação contra influenza acima de seis meses de idade.

Informações: Dra. Sabrina Postarek Curie