Catarinenses tem a maior expectativa de vida do país: 79,7 anos

O Brasil atingiu a marca de 208,4 milhões de habitantes em 2018, segundo estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgada nesta quarta-feira (24).

O dado é uma projeção com base no levantamento populacional do Censo de 2010 e mostra que Santa Catarina é o estado brasileiro com maior expectativa de vida, que passará de 79,6 anos em 2018 para 84,5 anos em 2060. A média do Brasil é de 76,2 em 2018 e de 81 anos em 2060.

A população atual do Estado é de 7.075.494 habitantes e, em 2060, deverá subir para 9.015.090. Até lá, a população brasileira crescerá para 228.286.347, cerca de 9,5% a mais dos 208,4 milhões atuais.

Em 2018, Santa Catarina já ganhou 29 mil habitantes, ficando atrás apenas de São Paulo (45,2 mil) e Goiás (39,8 mil). 


Analisando o crescimento natural, ou vegetativo, que é o saldo entre mortes e nascimentos, SC já tenderia, a partir de 2051, a ter um número maior de mortes do que nascimentos. Com isso a população catarinense não cresceria mais, porém isso muda com a vinda das pessoas de outros Estados.
Envelhecimento da população

Em 2035, o número de pessoas em Santa Catarina com 65 anos ou mais vai ultrapassar o de menores de 15 anos. O envelhecimento da população catarinense será o quarto mais rápido entre as unidades da federação.

O primeiro estado em que esse fenômeno demográfico ocorrerá é o Rio Grande do Sul, com a população de idosos ultrapassando a de crianças e adolescentes em 2029.



Depois vêm Rio de Janeiro e Minas Gerais, onde isso ocorrerá em 2033 nos dois estados. No Brasil, esse marco no envelhecimento se dará em 2039.

Como será nosso envelhecimento?

Santa Catarina e o país ainda não estão preparados para esse envelhecimento da população. É necessário e urgente que as políticas públicas acompanhem esse crescimento de idosos e sejam constantemente melhoradas.

É preciso avançar prioritariamente na área da saúde para dar conta das demandas; na seguridade social e na área da assistência social para dar suporte as pessoas que envelhecem e suas famílias, principalmente para evitar as situações de vulnerabilidade e violências.