Câmeras de segurança flagram abandono de idosa em frente a asilo, em SC

Na noite de quarta-feira (11), imagens de câmeras de segurança de um asilo na cidade de Brusque, no Vale do Itajaí, mostram um carro vermelho chegando na frente do local, às 23h46.

Uma idosa desce pela porta de trás com uma sacola nas mãos. Em seguida, uma outra pessoa, que também estava no veículo, abre o porta-malas e entrega mais bagagens à mulher.

A idosa segue então em direção ao portão do asilo e o carro vai embora. Ela fica olhando e continua a caminhada sozinha em direção ao portão. Em seguida, toca o interfone e fica esperando que alguém apareça. Naquela noite, a temperatura na cidade era de 10º C. 

O abandono foi filmado pelas câmeras de segurança do asilo. /Reprodução
Em um segundo vídeo, a idosa aparece enrolada numa coberta, conversando com uma funcionária do asilo e chorando. O lar de idosos, que é particular, acionou a Polícia Militar, que levou a vítima ao quartel da PM, onde ela passou a madrugada.

"Nós chamamos a polícia, porque é um caso de polícia. Um abandono de um incapaz é caso de polícia. Então a gente nem poderia receber porque iríamos se complicar", disse o presidente do asilo, Max Otto Reigert.

A idosa, de 64 anos, foi levada para o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), na manhã de quinta-feira (12). A família foi encontrada em Tijucas, na Grande Florianópolis. 

"A gente se arrepende porque achou, no nosso pensamento, que eles iam acolher ela", disse a mulher, que é esposa de um sobrinho da vítima.
De acordo com o Creas, a idosa mora com o sobrinho e com a mulher dele, e justificou o abandono por falta de condições financeiras e desentendimento familiar.

Na manhã de sexta (13), assistentes sociais de Tijucas visitaram a família. "Ela não conseguiu falar muito, chorava bastante e tinha a fala muito confusa. A gente não conseguiu entender o que ela queria dizer porque ela chorava muito".

A situação não foi uma surpresa para os funcionários. No mês passado, servidores da saúde que fazem atendimento domiciliar no município relataram a profissionais do órgão que a idosa estava sendo vítima de violência psicológica. 

"Comprovando o abandono da idosa num lar de acolhimento de idoso, as pessoas poderão responder pelo crime previsto no Estatuto do Idoso que tem pena de seis meses a três anos", afirmou o delegado Wesley Costa, da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Dpcami) de Brusque. A Polícia Civil vai investigar o caso.