Acidente que matou família no Paraná foi provocado por 'racha' de caminhões

Compartilhe:
Uma colisão entre um carro e uma carreta na BR-368, no norte do Paraná, causou a morte de cinco pessoas da mesma família, na noite de segunda-feira (02).
No veículo estavam pai, mãe e três filhos, de 11,9 e 4 anos , que morreram na hora. O motorista da carreta passou pelo teste do bafômetro que não apontou consumo de álcool.

Nesta terça-feira (03), a Polícia Civil informou que o acidente foi provocado por um racha entre cinco caminhões.
Quatro motoristas de caminhões suspeitos de envolvimento no acidente estão presos. Os homens têm 38, 37, 29 e 30 anos. Um quinto suspeito é procurado pela polícia.


Carreta que bateu de frente com veículo participava de racha, diz polícia. Foto: João Marcelo Chagas
Acidente

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que o condutor do caminhão estava ultrapassando em um lugar onde existe terceira faixa, quando invadiu a faixa contrária para não bater em outro caminhão que transitava na mesma direção. Com essa manobra, ele bateu de frente com o carro.

A Polícia Civil detalhou que após o acidente o motorista responsável pela batida informou pelo rádio aos outros três motoristas suspeitos o que ocorreu. Eles voltaram para o local assim que ficaram sabendo da tragédia.

Os tacógrafos dos quatro caminhões foram apreendidos pela polícia. Conforme o delegado, os veículos trafegavam acima da velocidade permitida na via. 

"O motorista que provocou o acidente disse que estava transitando na pista dele e o carro invadiu a pista onde estava. Mas, isso não ocorreu. O caminhão passou por cima do carro".

"O excesso de velocidade dos quatro caminhões, os depoimentos de duas testemunhas que presenciaram a batida e a dinâmica do acidente, o caminhão invadiu a pista onde estava o carro, mesmo tendo a terceira faixa no sentido onde ele estava, indica a prática de racha na rodovia", explicou o 

Carro da família ficou totalmente destruído. Foto: PRF/Divulgação
Os corpos da cinco pessoas foram sepultados no município de Mamborê, no Paraná. O casal ainda deixou um filho de 13 anos. O adolescente não estava no carro.