Seleção brasileira começa tropeçando no primeiro jogo desta Copa do Mundo

Compartilhe:
O Brasil se junta aos times de Argentina e Alemanha que tropeçaram no primeiro jogo desta Copa do Mundo. Nossa equipe não passou pela retranca da Suíça, mas não fez nada para melhorar o time. A Seleção Brasileira errou demais.

Desde 1978, quando ficou no 1 a 1 com a Suécia, não começava um Mundial com tropeço. Foram nove vitórias seguidas em estreias de Copas.
A última derrota faz ainda mais tempo: 82 anos

Não foi uma boa estreia porque se esperava uma vitória com consistência, até para se confirmar tudo que vem se falando do Brasil na condição de um dos favoritos ao título.(é favorito?).


Lances polêmicos

Dois lances polêmicos e centrais para o empate fizeram uma parte importante da história do duelo, arbitrado pelo mexicano Cesar Ramos:

Empurrão não marcado no gol da Suíça

O primeiro lance polêmico foi no gol de empate da Suíça, marcado por Zuber aos quatro minutos do segundo tempo. Os jogadores brasileiros reclamaram um pênalti, alegando que Miranda teria sido empurrado pelo autor do gol.

Lance com Gabriel Jesus na área da Suíça

Os jogadores brasileiros voltaram a reclamar quando Gabriel Jesus caiu na área e pediu pênalti de Akanji, que envolveu seus braços ao redor do atacante brasileiro.

Neymar

Sem comentários (...).

Tite

O técnico da Seleção Brasileira, Tite, afirmou que a ansiedade atrapalhou o desempenho do time na estreia . Para ele, os atacantes precisam ser mais “frios” na hora da finalização. “A ansiedade bateu forte. Quando apressa demais, a finalização fica imprecisa”, disse.

Nesse momento, em uma Copa do Mundo, temos que absorver quando toma um gol. Então, serve de aprendizado”, disse o treinador na coletiva de imprensa após o empate de 1 a 1 com a Suíça.

Tite evitou atrair os holofotes para os erros do árbitro. Para ele, o time não pode perder o equilíbrio emocional pressionando o árbitro. “Não tem que pressionar a arbitragem. Tem todo um processo [de arbitragem], pessoas que avaliam [os lances] e eu não posso fazer da equipe do Brasil uma equipe desequilibrada”.