Greve continua. Há pelo menos 20 trechos em SC com manifestações

Compartilhe:
Os caminhoneiros autônomos continuam as manifestações nas rodovias de Santa Catarina durante essa terça-feira (22).

A rodovia com o maior número de paralisações é a BR-101, onde os caminhões fazem fila em seis trechos, do Litoral Norte ao Extremo Sul. Outras manifestações são realizadas na BR-282, BR-470, BR-280 e BR-116 — o que afeta praticamente todas as regiões de Santa Catarina.

O local com uma das maiores mobilizações é o km 7 da BR-116 em Mafra, no Planalto Norte de Santa Catarina. Cerca de 100 caminhões estão parados no acostamento e os motoristas controlam a passagem de veículos pelo local, o que causa congestionamento de dois quilômetros nos dois sentidos da pista.



Nas rodovias estaduais há pelo menos uma manifestação, a qual é realizada na SC-415. Caminhoneiros estão reunidos desde ontem nas proximidades do porto de Itapoá, no Norte do Estado, onde estão parando os veículos de carga e deixando carros e motos passar pelo bloqueio.

Confira onde ocorrem as manifestações


BR-101
- Km 116 em Itajaí (Litoral Norte).
- Km 282 em Imbituba (Sul), onde os manifestantes paralisaram o trânsito na rodovia; PRF está no local.
- Km 342 em Tubarão (Sul).
- Km 354 em Jaguaruna (Sul).
- Km 402 em Maracajá (Sul)
- Km 421 em Araranguá (Sul).

BR-116
- Km 07 em Mafra (Norte).
- Km 54 em Papanduva (Norte).
- Km 138 em Santa Cecília (Serra).
- Km 245 em Lages (Serra).

BR-280
- Km 21 em Araquari (Norte).
- Km 120 em Rio Negrinho (Norte).

BR-282
- Km 263 em São José do Cerrito (Serra).
- Km 344 em Campos Novos (Serra).
- Km 395 em Joaçaba (Oeste).
- Km 463 em Ponte Serrada (Oeste).

BR-470
- Km 9 em Navegantes (Litoral Norte).
- Km 68 em Indaial (Vale do Itajaí).
- Km 249 em Curitibanos (Serra).

SC-415
- Km 1 em Itapoá (Norte).

O movimento que começou nesta semana  não tem data para terminar. Os protestos ocorrem contra o aumento do combustível e dos impostos no valor do diesel.

Há também atos na  Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, e Tocantins.

A maioria dos atos impede a passagem de caminhões, mas libera a de carros de passeio e outros veículos. Alguns protestos ocorrem apenas nos acostamentos.