Mais uma perda a vista para a região de Canoinhas

Esta semana, o vereador e presidente da Câmara, Coronel Mario Renato Erzinger soube da tramitação de transferências de Policiais Militares Rodoviários de Canoinhas para outras regiões, em conversa com vice-prefeito Renato Pike, 

Esses PMs fazem parte do 16º Posto da Polícia Militar Rodoviária (PMR) em Canoinhas. As transferências se tratam especificamente da PMR de Canoinhas, que desde a desativação da BR-280 que passou para a Polícia Rodoviária Federal, conta hoje somente 13 PMs, sendo que foi determinado a transferência de 5 PMs para a Polícia Militar Rodoviária de Calmon.

Diminuindo tanto assim o efetivo, fica praticamente impossível de se fazer o patrulhamento, além de colocar em risco a guarnição. E se essa guarnição fechar, os policiais terão que se deslocar 200 quilômetros em média para fazer um boletim de ocorrência de acidente de trânsito”, enfatizou o vereador.

Hoje, o efetivo atua em quatro rodovias. SC-120 (Três Barras à BR 280), SC-114 (BR 116 a Itaiópolis), SC-477 (Canoinhas a Major Vieira e Papanduva) e o acesso a Irineópolis.


Erzinger ainda destacou que hoje a Polícia Rodoviária de Canoinhas tem um trecho de 80 quilômetros para atender

Calmon cuida de 200 quilômetros e Campo Alegre cuida de 150 quilômetros. Mesmo com a preocupação de aumentar o efetivo de Calmon por ser um trecho maior, os vereadores frisaram que não devem ser retirados os policiais militares de Canoinhas

Por uma questão ética, não estou julgando ou criticando a decisão do Comando, mas precisamos iniciar um movimento para que não se confirme essas transferências, e que não se cause um transtorno social para esses policiais e nossa comunidade”, finalizou o presidente da Câmara.

Vereadora Norma Pereira destacou que “a preocupação maior é com a nossa segurança, que hoje é considerada satisfatória, e não podemos perder isso. Precisamos manter os serviços que Canoinhas ainda tem”.