Fato: vive-se sem comida e sem remédios. Sem gasolina nunca!

Tem greve? filas nos postos de combustíveis. Acabou a greve? filas nos postos de combustíveis.
Essas filas bateram de longe as que costumamos ver: fila nas Unidades de Pronto Atendimento, fila para matrícula escolar, fila no Hospital, fila na farmácia do governo, fila no Cartório Eleitoral, fila...

Mas o que fez o brasileiro ter essa atitude de "sangria desatada" para abastecer seu veículo? Por que motivo, logo no início da greve, ninguém correu para uma farmácia, supermercado, postos de saúde, hospitais?
A gasolina mostrou-se prioridade. Para todos os brasileiros. 

-Você viu que está faltando oxigênio para os hospitais?
- Sim, eu vi. E você sabe que posto tem gasolina?

A visão mais desejada, nos últimos dias, foi essa: abastecimento dos tanques nos postos. Foto: Leo Munhoz/DC
Filas quilométricas formaram-se nos postos de todo o país, antes e pós greve. Uma verdadeira corrida maluca, que acelerou a falta de combustível.
Estabelecimentos aproveitaram a oportunidade para elevar o preço a patamares horrendos. E o povo pagou.

Usa carro para quê?

“Para trabalho, para tudo".
"Para levar filhos na escola”.
“Sou médico, trabalho em vários hospitais. Eu preciso do meu carro para trabalhar”. 
"Ah, eu uso para ir a todos os lugares".
"Não fico sem carro de jeito nenhum".

As desculpas (justificáveis), são muitas, mas uma questão não consegue ser respondida: o que fez o brasileiro dar prioridade absoluta ao combustível em um momento que o país beirava ao caos por conta do desabastecimento em vários setores?

É...sou brasileiro...com muito orgulho...com muito amor....