Dois casos de abuso sexual infantil chocaram os catarinenses essa semana

Dois casos de abuso infantil geraram revolta em Santa Cataria na semana que passou.
O primeiro deles aconteceu em Indaial, no Vale do Itajaí, na última quinta-feira (03). Um homem de 34 anos foi preso em flagrante com uma criança de 9 anos em um quarto de motel, às margens da BR-470.

Ele declarou à polícia que era namorado da mãe da vítima e valendo-se dessa proximidade teria abordado a criança quando ela se dirigia para o colégio.

Motel às margens da R 470 em Indaial onde foi flagrado o crime/Reprodução
A PM recebeu uma denúncia anônima e disse que quando chegou ao quarto, o homem estava pronto para tomar banho com a criança. No interior do quarto, além do homem e da criança, foram encontrados produtos para práticas sexuais.

Foram encontradas também uma moto com placas adulteradas e uma porção de cocaína. O homem deve responder por tentativa de estupro de vulnerável, adulteração de veículo e posse de droga. A menina está com a mãe e está sendo atendida por psicólogos.

Homem de 67 preso em Camboriú tem antecedentes de abuso infantil/Reprodução
O segundo caso aconteceu em Camboriú, no litoral norte, na sexta-feira (04). Um idoso de 67 anos foi preso suspeito de abusar sexualmente de pelo menos seis crianças. As vítimas têm entre 5 e 10 anos de idade.

As crianças são de uma comunidade carente de Camboriú. O delegado Maurício Pretto confirmou que três casos de estupro foram comprovados em exames de perícia. A investigação também juntou laudos psicológicos feitos com as crianças.

"Elas teriam sido atraídas por esse senhor com o pagamento de certas quantias em dinheiro, R$ 10, R$ 15, R$ 5, balas, chocolates. Oferecia para as crianças jogarem videogame na casa dele", disse o delegado.

Três casos de estupro foram comprovados/Reprodução
Antecedentes

A investigação levou os policiais a outras quatro crianças que também teriam sido abusadas. O idoso é vendedor ambulante. Ele foi preso depois que a mãe de duas vítimas procurou a polícia.

"Ele tem antecedentes criminais já pelo mesmo fato no Sul do estado. A gente não sabe os detalhes, se houve condenação, se ele responde em liberdade, se ele já cumpriu a pena e pagou essa pena. Mas o caso em Camboriú realmente nós temos provas contundentes de que ele teria praticado esses abusos", enfatizou o delegado.