Prepare o bolso:medicamentos ficarão mais caros a partir de abril

Compartilhe:
O mês de abril vem com más notícias para o consumidor. No dia 1º, os remédios estarão entre 2,09% e 2,84% mais caros, de acordo com a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED).
Embora seja relativamente baixa, a correção serve de alerta para que o consumidor refaça suas estratégias para pesquisar e comprar medicamentos. 

Afinal, trata-se de uma das áreas de consumo que mais drenam dinheiro dos brasileiros: por ano, são gastos R$ 65 bilhões em medicamentos no país, conforme a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), média de R$ 342 por pessoa.

Uma recomendação para escapar da alta dos medicamentos é garantir a compra antes do reajuste ou nos primeiros dias de abril.


De acordo com cada estabelecimento, levando em conta sua reposição de estoques e das estratégias comerciais, o aumento pode demorar alguns dias.

Para quem precisa de medicamentos de uso continuado, os cartões de fidelidade das farmácias e de grandes laboratórios podem abrir caminho para descontos importantes. Os cortes podem chegar a até 70% em algumas variedades. 
Em compras frequentes, representam um alívio considerável ao bolso. 

Dica para economizar

- Aproveite o programa Farmácia Popular, do Ministério da Saúde, que oferece remédios com preços até 90% mais baixos. Vale destacar que não é necessário comprovar renda ou ter utilizado o Sistema Único de Saúde (SUS) para recorrer ao programa. Basta ir a uma farmácia credenciada, apresentar a receita médica e um documento com foto.