Pesquisar neste site

Entenda a polêmica envolvendo o fechamento das Gerências Regionais em Canoinhas

Na última quinta-feira (22), as vereadoras Norma Pereira, Camila Lima e o presidente Coronel Mario Erzinger estiveram presentes na 26ª GERSA (Gerência Regional de Saúde) de Canoinhas, no momento em que funcionários da Gerência Regional de Saúde de Mafra realizavam a retirada de documentos e materiais do local para levar para a cidade vizinha.

Por solicitação dos servidores de Canoinhas, as vereadoras tentaram interceder pela permanência dos materiais de trabalho da repartição no município, tendo em vista que os documentos, veículos e demais equipamentos são essenciais para a continuidade do serviço prestado na cidade. 

Os três vereadores também buscaram dialogar com a Gerente Regional de Saúde de Mafra, presente no ocorrido, que deixou o local sem prestar maiores informações aos vereadores. 

Vereadoras chegaram a sentar em caixas contendo material da GERSA, para impedir que fossem retiradas do local/Divulgação
No mesmo dia, antes da visita dos funcionários da gerência de Mafra, uma servidora da GERSA havia procurado o presidente para pedir apoio à permanência das unidades de Canoinhas. 

Na tribuna, Norma relatou o episódio e lamentou a perda da repartição, bem como a falta de documentos oficiais que explicitem o fechamento da gerência no município

Esse decreto que extinguiu a ADR de Canoinhas não traz no seu bojo que as repartições que nós temos desde 1980 (gerências regionais) também serão extintas”, afirmou. A vereadora também explicou a tentativa de interceder pela permanência dos materiais na unidade. “Chegamos na agência por um direito legítimo de nós canoinhenses”.

O presidente Coronel Mario Erzinger afirmou que não houve respeito com as solicitações de informações do legislativo. “A forma como foi desrespeitada essa Casa de Leis nós não vamos admitir nunca. Não são os vereadores que estão revoltados, é a comunidade de Canoinhas que está revoltada”, afirmou. 

A vereadora Camila Lima (MDB) também demonstrou insatisfação com o processo de fechamento da repartição. “Houve descaso com a gente, com os canoinhenses”, afirmou.

MOBILIZAÇÃO

Nas sessões da Câmara, os vereadores demonstraram apoio ao serviço prestado pelas gerências no município. 

Ao longo do último mês, além das diversas manifestações durante as sessões ordinárias do poder legislativo municipal, todos os vereadores assinaram requerimentos endereçados ao Governador do Estado, Eduardo Pinho Moreira, às secretarias responsáveis, aos deputados estaduais, aos deputados federais e senadores da bancada catarinense, às Câmaras de Vereadores dos municípios atendidos pelas gerências e à Amplanorte, solicitando que as repartições continuem no município. 

Ainda assim, desde o anúncio do fechamento da ADR Canoinhas até o dia de hoje (27), a Câmara não recebeu um posicionamento oficial do governo estadual sobre o assunto.

Ao falar sobre a importância dos serviços prestados na cidade, Norma alegou que os contribuintes são os maiores prejudicados com a mudança. 

“Na GERSA, estão em 19 servidores concursados. Quatro irão para Mafra, um irá para Florianópolis e os demais ficarão à disposição do município. E como fica para o povo das outras seis cidades e os canoinhenses que terão que ir para Mafra para solicitar serviços?”, questionou. 

A vereadora Camila Lima (MDB) relatou que recebeu a informação de que os medicamentos serão enviados até Canoinhas, que irá realizar a distribuição para as demais cidades da região. “Mas quem irá fazer a distribuição? O município?”, questionou a vereadora, destacando que os veículos utilizados para o serviço também foram levados para Mafra.

O vereador Célio Galeski lamentou que a mudança acarrete novas despesas aos contribuintes que necessitam dos serviços da saúde estadual. “Pessoas com dificuldade financeira terão que ir até Mafra. Se estão pedindo para o estado, é porque não têm condições de pagar”, afirmou. 

Na tribuna, Norma convidou a população a apoiar a permanência das unidades e falou sobre manifestação a favor das gerências de Canoinhas, que ocorre neste sábado, 31, no município. O presidente Coronel Mario também reiterou o convite para a mobilização.

SITUAÇÃO ATUAL


Após a retirada dos materiais da Gerência Regional da Saúde de Canoinhas, o presidente Coronel Mario Erzinger entrou em contato com o Secretário Executivo da ADR de Mafra, Abel Schroeder, o qual alegou que a ordem de fechamento da unidade de Canoinhas partiu da Secretaria de Estado da Saúde

Erzinger, no entanto, voltou a receber novas informações na noite do mesmo dia. Em contato com o presidente, Schroeder afirmou que o Secretário de Estado de Saúde, Acélio Casagrande, o informou que a decisão de fechar a gerência teria sido revogada. Com a nova decisão, o material encaminhado à Mafra teria de voltar a Canoinhas.

Na segunda-feira, 26, no entanto, o governador em exercício do estado de Santa Catarina, Eduardo Pinho Moreira, confirmou o fechamento da repartição.

Diante da situação, Norma Pereira requer que seja encaminhado ofício ao Excelentíssimo Governador do Estado, Eduardo Pinho Moreira, indagando o seguinte:

1) Se a justificativa são as finanças do Estado de Santa Catarina, como se explica o fato de que, com a transferência da Gerencia Regional de Saúde de Canoinhas para Mafra, os 15 servidores concursados lotados nesta gerência serão disponibilizados sem custos para exercerem funções no município de Canoinhas, sendo que para a agência de Mafra serão contratados 10 ou 15 outros técnicos com ou sem a habilitação de que são dotados os atuais?

2) Qual a justificativa plausível e racional para a transferência da Gerência Regional de Educação para São Bento do Sul, se da mesma forma, aqui em Canoinhas está toda a estrutura funcional e física necessária para o suporte e desenvolvimento da Educação na região, com um efetivo de aproximadamente 1.300 profissionais?

3) Como explicar às comunidades de Canoinhas e região (8 municípios), o fato de que tanto à Gerencia de Saúde, quanto a da Educação já existiam muito antes da instituição das SDRs/ADRs e a estas não estavam atreladas por força de lei ou pela própria especificidade das funções desempenhadas por cada uma?

São muitas questões a serem esclarecidas.
Por isso é importante a mobilização da comunidade. Participe do ato contra o fechamento das Gerências Regionais em nosso município.
Sua presença é importante. Diga NÃO ao retrocesso!