Ambiental de Canoinhas participa de grande operação contra o crime em SC

Compartilhe:
Na manhã da última quinta-feira (1º), a 3ª Companhia do 2º Batalhão de Polícia Militar Ambiental em Canoinhas participou da “Operação Ferrolho I”, conforme ordem de operação do Comando da Polícia Militar do Estado de Santa Catarina.

A missão da Operação Ferrolho foi de desenvolver uma operação policial militar conjunta com outras Forças de Segurança Pública com foco nos pontos de acesso ao Estado de Santa Catarina nas divisas interestaduais e na fronteira internacional, visando coibir a entrada de criminosos, tráfico e porte ilegal de armas e munições, tráfico e porte ilegal de drogas, captura de foragidos da justiça, contrabando e descaminho, e outros delitos.

Polícia Militar Ambiental/Divulgação
A operação contou com o apoio da Polícia Militar do Paraná (PMPR), da Brigada Militar do Rio Grande do Sul (BMRS), da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Civil de Santa Catarina. 

Todas as ações foram planejadas com informações compiladas pelo Serviço de Inteligência das policias militares dos três estados do Sul, levantadas nos três últimos meses.

Cerca de 1.400 policiais militares de Santa Catarina foram empregados na operação, além de mais de 300 homens das policias do Paraná e do Rio Grande do Sul, sem contar com o apoio da PRF, que deu todo o suporte na execução das ações.

Polícia Militar Ambiental/Divulgação
A 3ªCia/2ºBPMA - Polícia Militar Ambiental de Canoinhas e região- atuou em conjunto com a Guarnição Especial PM de Mafra, 15º Batalhão da Polícia Militar de Caçador e o 3º Batalhão de Polícia Militar (que abrange a área de Canoinhas a Porto União), sendo realizado policiamento no Rio Negro e no Rio Iguaçu, na divisa entre o Estado de Santa Catarina e Paraná, e em outros pontos da divisa, com participação da Polícia Militar Ambiental de Porto União e de Caçador.

Polícia Militar Ambiental/Divulgação
O Comandante da 3ªCia/2ºBPMA, Major PM Christopher Rudolf Froehner, ressalta a importância da operação: “Medimos toda a nossa operacionalidade dentro da área de atuação, na região de Rio Negrinho e Mafra até Porto União e Caçador, atuando nas divisas do Estado Catarinense com o Estado do Paraná, e também colocamos em prática toda a nossa logística, com recursos materiais e humanos, para serem empregados em ações de segurança pública e de polícia ostensiva. Percebemos a força e o tamanho que temos, e podemos garantir à população que estamos fazendo o possível para manter o nosso Estado seguro.”

O objetivo das ações foi em demonstrar a capacidade de mobilização do efetivo, com apoio das outras instituições, bem como levantar informações relacionadas ao tráfico de drogas e o contrabando de armas e produtos ilícitos no Estado. 

Polícia Militar Ambiental/Divulgação
Foram mais de 282 pontos, monitorados durante a operação, que cobriu todos os principais pontos de acesso ao Estado de Santa Catarina.

"Outro aspecto importante foi a interação com as unidades de área, onde pudemos aprender muito e trocar experiências com as unidades de área de polícia ostensiva", ressaltou Major PM Froehner.