Pesquisar neste site

Terceiro jornal mais antigo do Estado, Correio do Norte completa 70 anos

Em maio de 1947, surgia o jornal Correio do Norte, originado de uma ideia do então deputado estadual Aroldo Carneiro de Carvalho.

À época, o mundo vivia o cenário de um recente fim de guerra mundial e, o Brasil, suas primeiras eleições diretas para os cargos de governador, deputado estadual e deputado federal, prefeito e vereadores.

O Correio do Norte é o jornal mais antigo do município e o terceiro do Estado/Divulgação
A história foi relembrada por Eni Voltolini, ex-deputado e membro da direção do periódico nos dias de hoje.
Na tribuna da Câmara de Vereadores, Voltolini eternizou o aniversário de 70 anos do mais antigo jornal do município e o terceiro do estado, durante sessão solene em homenagem ao periódico.

HISTÓRIA


Em sua fala, Voltolini explicou que o Correio do Norte iniciou por motivos partidários, assim como a maior parte da imprensa da época. 
Opositor do Barriga Verde, os jornais defendiam diferentes pontos de vista políticos. “Naquela época, vivíamos uma contenda partidária”, afirmou. 

Apesar das mudanças sofridas na linha editorial e na forma de pensar o conteúdo informativo, o CN foi comandado por Aroldo Carneiro de Carvalho por 31 anos, quando foi vendido para os senhores Hilton Ritzmann e Luis Freitas. 

Mais recentemente, em 2001, a família Pangratz assumiu a direção do periódico, uma época marcada pela inovação e modernização da redação.

Já nos primeiros anos de direção, a nova equipe aboliu o formato Standart, dando lugar às medidas de tabloide, mais modernas e adotadas por jornais em todo o país. 

Em 2003, o CN também ganhou sua versão online, por meio do site atualizado diariamente. “Hoje, o jornal é impresso e tem o seu dia a dia registrado através da maneira eletrônica”, contou. 

Estas não foram as únicas mudanças implementadas pela nova direção: o jornal passou a ter 32 páginas coloridas, passou a contar com jornalistas graduados e tornou-se membro da Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina (Adjori/SC).

HEMEROTECA

Na cerimônia, o jornal Correio do Norte também firmou um convênio com a Fundação Catarinense de Cultura (FCC), que irá realizar a digitalização de todo o acervo do periódico.

Após a conclusão do processo, que deve durar três anos, o conteúdo será disponibilizado na Hemeroteca Digital Catarinense e poderá ser acessado de forma online.