Morador de Itajaí denuncia sino de igreja por 'perturbação do sossego alheio'

Compartilhe:
Incomodado com as badaladas de um sino de igreja, um capitão dos bombeiros que mora na cidade, mas trabalha em Itapema, no Litoral Norte, chamou a polícia.

O aparelho que faz o sino tocar foi apreendido pela PM por "perturbação do sossego alheio" no sábado (16).
'Não consigo descansar porque as badaladas são muitos altas', disse o bombeiro. 

O sino pertencia à paróquia São Cristóvão, a segunda maior igreja da cidade e há nove anos as badaladas marcavam a virada das horas na comunidade.

Paróquia São Cristóvão, em Itajaí. Ao fundo, a torre onde ficava o sino/Reprodução
A Mitra Arquidiocesana considerou apreensão indevida e emitiu nota lamentando a apreensão do equipamento.

O comando da PM também se manifestou por meio de nota e disse que a lei sobre perturbação do sossego alheio prevê que os equipamentos sejam recolhidos.

"Mesmo com ar-condicionado, ventilador para abafar o som, eu não consigo descansar porque as badaladas são muito altas. Para quem mora a 50 metros da igreja, 30 metros da igreja, como é o meu caso, é um som ensurdecedor", afirmou o bombeiro militar que fez a denúncia, Maicon Alcântara.

Na tarde de segunda-feira (18), a Mitra Arquidiocesana de Florianópolis informou que uma lei municipal permite o toque dos sinos para indicação de horas e trata as badaladas como exceção às regras gerais que basearam a ação da PM.

A igreja não comentou o acordo mediado pela polícia e acionou a Justiça para resolver a situação.