Operação prende quadrilha que aterrorizava Timbó Grande e região

A Divisão de Investigação Criminal de Caçador, com apoio de policiais civis de Santa Cecília, Timbó Grande, Videira, Joaçaba, Rio das Antas, Lebon Régis, Macieira, Calmon e Catanduvas, desencadearam uma operação em Timbó Grande, na sexta-feira (09).

A Operação Ordinem, que significa “ordem” em latim, contou com 44 policiais civis, os quais cumpriram 11 mandados de busca e apreensão, quatro mandados de prisão preventiva e duas prisões em flagrante. 

A operação iniciou no fim da madrugada de sexta-feira, em Timbó Grande/Divulgação
Seis pessoas foram presas suspeitas de fazerem parte de uma quadrilha especializada em roubos. Outros dois suspeitos estão foragidos.

Segundo o delegado que comandou a operação, Fernando Guzzi, a investigação apurou que a quadrilha estava agindo desde 2016 em Timbó Grande, Santa Cecília e Lebon Régis, com atuação mais forte em 2018.
O trabalho investigativo durou semanas e logrou êxito em identificar os autores.

Armas e muitos produtos roubados foram aprendidos/Divulgação
Era uma atuação ordenada, com a presença de uma associação criminosa. Eles se revisavam entre si, usavam sempre armas de fogo e agiam com os rostos cobertos. No começo, se utilizavam apenas de ameaças, mas foram progredindo e aumentaram a violência contra as vítimas. Inclusive, houve uma ocorrência de latrocínio (roubo seguido de morte)”, salienta Guzzi.

Durante a operação, foram recuperados vários produtos roubados, como celulares, notebook, aparelhos eletrônicos, motosserras e roçadeiras. 

Um veículo que era utilizado na prática desses roubos também foi apreendido. As vítimas serão intimadas para reconhecimento e devolução dos objetos.

A DIC também investiga a participação desses investigados no atentado à casa do prefeito de Timbó Grande, Ari Galeski, ocorrido em janeiro deste ano. Algumas armas possivelmente usadas nesse crime foram apreendidas.
Os presos foram conduzidos à Delegacia de Caçador, onde foram ouvidos. 

Caçador Online