Flagrante de tráfico no bairro Jardim Esperança em Canoinhas

No final da tarde desta quinta-feira (18), equipe da Agência de Inteligência do 3º Batalhão de Polícia Militar de Canoinhas,  após levantamento e monitoramento de veículo suspeito, acompanhou e procedeu a abordagem policial pela ROCAM.

Os policiais localizaram pequena quantidade de maconha em posse de um dos passageiros do veículo. Ao ser questionado sobre a droga o rapaz informou que era somente usuário e repassou a procedência daquele entorpecente.

Tráfico de drogas no Jardim Esperança em Canoinhas
Veículo suspeito foi abordado pelos policiais. PM/Divulgação
Neste momento foram acionadas as guarnições de Rádio Patrulha e Patrulhamento Tático para que em um trabalho coordenado realizassem a busca no endereço apontado pelo usuário como ponto de venda de drogas, no bairro Jardim Esperança, em Canoinhas.

Na residência foram encontrados diversos tipos de entorpecentes (crack, maconha, pasta base de cocaína), materiais utilizados no tráfico ilícito de drogas como balança precisão, faca para o corte e material para embalagem além de dois celulares e R$ 156,00 reais em espécie.


No local também foram abordados dois homens, um deles residente no imóvel, e o segundo com possível envolvimento no comércio ilegal.

Diante dos fatos e do levantamento de informações pela Agência de Inteligência outra equipe de policiais militares deslocou até a residência do segundo homem abordado, onde com a permissão da proprietária realizou buscas, encontrando no guarda-roupas do quarto do suspeito mais quantidade de crack, maconha, pasta base de cocaína e R$ 414 reais em espécie.

Ainda no quintal da residência foi localizado uma pequena muda de maconha.


No total foram apreendidas mais de 310 pedras crack, 188 g maconha, 73g pasta base (cocaína), 1 pé de maconha 1 balança de precisão e R$ 570 reais, além de facas e utensílios para embalar os entorpecentes.


Os dois homens foram presos em flagrante delito e responderão pelo crime de tráfico ilícito de drogas como descrito Artigo 33 da Lei 11.343, podendo cumprir de 5 a 15 anos de reclusão.