Menor é preso após roubar e esfaquear taxista em Canoinhas

Na noite de sábado (02), por volta das 22h30m, guarnições da PM e equipe da ROCAM, iniciaram rondas para encontrar um jovem que havia atentado contra a vida de um taxista, após ter cometido roubo contra o mesmo.

Na Rua Getúlio Vargas, centro de Canoinhas,  a vítima, um taxista, estava caído no chão em decúbito dorsal, sangrando bastante.
O homem foi alvo de assalto na Rua Adolfo Bading, sentido Campo da Água Verde, no momento em que fazia uma corrida.           

O 'menor' foi preso em flagrante e conduzido à Delegacia de Polícia Civil/Divulgação
A vítima levou várias facadas na região da face, pescoço, cabeça, braços e região cervical, sendo encaminhada ao Pronto Atendimento do Hospital Santa Cruz pela equipe do Corpo de Bombeiros.
De acordo com a médica que o atendeu, havia aproximadamente dez ferimentos a faca.

Segundo testemunhas e a própria vítima, o autor tratava-se de um jovem já conhecido no meio policial pela prática de furtos, fato confirmado através de uma foto mostrada a eles.         

Os policiais localizaram o  suspeito em uma casa na rua Waldemiro Olsen, sendo este preso em flagrante delito e conduzido a Delegacia de Polícia Civil.

O veículo da vítima ficou com muitas marcas de sangue.
O suspeito de realizar este crime é menor de idade e atualmente é o principal suspeito de ser autor dos crimes contra o patrimônio na cidade de Canoinhas.

Também é suspeito de co-autoria de crime contra a vida ocorrido na última quarta-feira (29), quando o marceneiro Valmor Durau, de 57 anos, morreu após receber golpes de machado. Valmor também teria reagido a uma tentativa de assalto, supostamente por esse menor.
A polícia ainda não confirmou esta informação, visto que o caso ainda está sendo investigado.
O menor esfaqueou o taxista e é suspeito de ter matado um
 marceneiro com golpes de machado/Divulgação
O taxista, C.A.C., vítima do assalto, foi encaminhado para atendimento hospitalar e segundo últimas informações ele passou por cirurgia e seu quadro é estável.

Nota publicada por policiais que participaram da ação:


"Infelizmente a impunidade que assola o país está passando dos limites racionais e as pessoas de bem estão sofrendo a injustiça da reclusão da sua própria liberdade, tendo que se prender dentro das suas próprias casas".

O que diz a lei

Está em tramitação uma proposta que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos.
Enquanto a votação da PEC tramita, os infratores menores de 18 anos continuam sujeitos às medidas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), legislação que regula atualmente. 

Confira o que a lei brasileira determina atualmente:

- Os jovens menores de 18 anos são considerados “penalmente inimputáveis”, ou seja, não podem responder criminalmente por seus atos infracionais.

-Quando cometem atos infracionais, os jovens são encaminhados à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, caso haja uma na localidade, e não às delegacias de polícia.

- Os pais são comunicados e, dependendo da gravidade do ato, o adolescente é liberado ou encaminhado a uma unidade de internação. O jovem pode ficar até 45 dias em internação provisória.

- Geralmente, são internados jovens que cometem atos como homicídio, tráfico de drogas ou são reincidentes em crimes violentos. Atos menos graves podem ser convertidos em advertência, reparação de danos e prestação de serviços à comunidade.

- Em até 45 dias, o adolescente é julgado em uma vara da Infância e Juventude. Comprovada a autoria do ato, o jovem sofre medidas socioeducativas (privação da liberdade, semiliberdade ou liberdade assistida).

- A internação pode durar no máximo três anos e não tem um prazo mínimo predeterminado.

- Se for liberado, no período de transição, o menor infrator pode ser colocado em regime de semiliberdade ou de liberdade assistida.

Fontes: Estatuto da Criança e do Adolescente e Conselho Nacional do Ministério Público