Moradores ficam assustados com toque de recolher em Palhoça

Tiros disparados durante a noite e alertas de suposto toque de recolher enviados por WhatsApp em função da violência, assustaram os moradores dos bairros Caminho Novo e Brejaru, em Palhoça, nesta semana.
O auge do pânico ocorreu entre quarta (8) e quinta-feira (9), quando as mensagens foram disseminadas pelo celular.

Alunos que moram nas comunidades, acabaram abandonando as aulas e retornando para casa mais cedo por conta do medo.
Os estudantes que foram embora por causa do alerta tiveram as faltas justificadas.

Uma senhora com mais de 70 anos disse que chegou a se jogar no chão quando ouviu disparos de arma de fogo no último fim de semana. — 'Faz uns 15 dias que está assim mais complicado. Fiquei apavorada com os tiros'.

Imagem: WhatsApp
Outra mulher, de 40 anos, que mora há quase dois anos no Caminho Novo, contou que escolheu Santa Catarina para fugir da violência no Estado natal.  "Essas mensagens pelo celular me deixaram apavorada", disse a mulher.

A Polícia Militar de Palhoça afirmou que fez operações durante a semana nos dois bairros, mas não confirmou o toque de recolher e nem os tiroteios. Já a Polícia Civil afirmou que os tiros podem ter ocorrido em função da prisão de integrantes de facções na região.

Imagem: Diorgenes Pandini / Diário Catarinense
Um policial que faz parte do setor de investigação disse que ainda não há regiões em Palhoça dominadas por uma facção paulista que tenta conquistar espaço no tráfico de drogas em Santa Catarina.

 Porém, há a confirmação de que quatro traficantes tenham se aliado ao grupo paulista, dois deles foram presos.
 Além do toque de recolher, os moradores receberam um vídeo de um jovem sendo decapitado. Os criminosos que não mostram o rosto dizem na gravação que pretendem dominar o Estado, e citam bairros de Palhoça e de Florianópolis.

O policial civil acredita que o assassinato brutal tenha relação com a guerra entre a facção local e a de São Paulo. Porém, o corpo ainda não foi localizado.

Com informações do Diário Catarinense