Descaso: enquanto o povo espera atendimento no PA, funcionárias se embelezam, em Itajaí

Está dando o que falar o flagrante que dois vereadores de Itajaí deram em um Centro de Saúde Integrado (CIS) da cidade.
Uma consultora dos produtos Mary Kay estava fazendo limpeza de pele numa mulher e outras duas esperando para serem atendidas. Como se estivessem em um salão de beleza. 

Enquanto tinha gente na fila de espera do Pronto Atendimento, três funcionárias da secretaria de Saúde estavam numa sala, se embelezando. 

Enquanto povo esperava no PA, consultora embelezava uma funcionária pública/Divulgação
A cena foi flagrada pelos vereadores Edson Lapa (PR) e Otto Quintino Jr. (PRB).
Os parlamentares pretendem levar o caso ao ministério Público já que haveria autorização da secretaria de Saúde para a consultora da Mary Kay trabalhar dentro do órgão público. 

A secretaria de Saúde não confirma e diz que está investigando o caso.
O flagra foi dado na quinta-feira (02) da semana passada à noite. 
Os dois parlamentares foram dar uma incerta no pronto-atendimento. 


Aos vereadores, a consultora apresentou um documento assinado pela enfermeira Alessandra Kaestner Enriquez, diretora da secretaria de Saúde. No documento, Alessandra autoriza as consultoras da Mary Kay a fazerem os serviços e a venderem os produtos.

No documento há inclusive as exigências dos representantes da Mary Kay para trabalharem dentro do CIS. “O ambiente que utilizaremos para o trabalho precisa de iluminação boa, mesa e cadeiras e a agenda também deve ser montada com antecedência”, diz o papel. Seriam atendidos até dois servidores públicos a cada 25 minutos.

Balcão pra venda de batons e cremes dentro do novo centro de Saúde/Divulgação
“É incrível que exista um documento da secretaria de Saúde que autoriza uma empresa privada a ocupar o espaço público para aplicar tratamento de beleza em servidores durante o horário de expediente”, revolta-se Lapa. “Vamos ao MP para que sejam tomadas as medidas legais. É inadmissível que esse tipo de coisa aconteça”, completa Otto.

A justificativa ouvida pelos vereadores é que aquele seria um projeto chamado “Cuidar de quem cuida”, pra deixar os servidores mais contentes e bonitos para atender o povão.

Prefeitura investiga

Em nota enviada pela assessoria de imprensa, a direção da secretaria de Saúde diz que já está tomando providências através de um processo administrativo interno para averiguar a denúncia dos vereadores. 
Também avisa que não vai mais deixar que o CIS vire um camelô. “(Está elaborando) uma normativa reforçando a proibição da venda de produtos de qualquer natureza nos estabelecimentos e unidades da rede municipal de Saúde,” diz a nota.
Fonte: Diarinho