Rapaz é atingido por raio dentro de casa enquanto mexia no celular, em Londrina

Um rapaz foi atingido por um raio no distrito de Lerroville, em Londrina, na manhã desta sexta-feira (27). O jovem estava dentro de casa e mexia no celular, que estava conectado (na tomada), no momento da descarga elétrica.
O aparelho eletrônico chegou a pegar fogo e a vítima ficou inconsciente. 

Conforme informações dos bombeiros, o jovem foi entubado e levado em estado grave ao hospital/Reprodução
O Siate e a equipe do médico do Samu foram acionados. Para facilitar o atendimento, os familiares levaram Jonathan até o distrito mais próximo, e aguardaram as viaturas. 
Entubado, o rapaz foi encaminhado ao Hospital Evangélico de Londrina em estado grave. 

Momento em que ele chega ao hospital/Reprodução

Alerta: os perigos em casa

Nas residências, os tipos mais comuns problemas decorrentes da queda de raios estão justamente ligados ao uso de eletrônicos. 

Embora descargas elétricas não costumam atingir uma pessoa protegida dentro de casa, elas podem chegar por meio de instalações elétricas ou telefônicas.
Isso acontece, normalmente, quando a rede elétrica é atingida por um raio, fazendo com que a tensão da fiação aumente e gere uma sobrecarga no sistema.

Apesar de não agir diretamente sobre o indivíduo protegido em seu lar, um perigo real é a descarga elétrica atingir uma pessoa por meio desses eletrônicos. Os casos mais comuns ocorrem quando a vítima está conversando em um telefone com fio e um poste ou a rede é atingida pela descarga elétrica, que se propaga pela linha telefônica. 

Além disso, a alta tensão pode chegar por aparelhos conectados à rede elétrica, como celulares no carregador.

Os problemas mais comuns decorrentes da sobrecarga da rede elétrica, entretanto, são os danos aos produtos eletrônicos. 
Por isso, recomenda-se sempre desligar os aparelhos na tomada quando uma forte tempestade se aproxima, pois a variação de energia elétrica pode fazer com que a sua TV, computador ou até mesmo celular queime.

Em janeiro de 2015, a morte de uma menina de 11 anos após sofrer uma parada cardiorrespiratória, na última segunda-feira (19), no Distrito Federal, em decorrência de choque elétrico enquanto utilizava o celular com o aparelho ligado à tomada chamou atenção para os risco da prática.

A garota foi atendida no Hospital Regional de Ceilândia por três pediatras, um cirurgião e uma clínica médica, segundo a Secretaria de Saúde. Ela foi submetida a reanimação cardiopulmonar durante uma hora e dez minutos, mas não sobreviveu.
Fica a dica!