Porto União é considerado infestado pelo mosquito Aedes aegypti

A Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (25), anunciou que 9.273 focos do mosquito Aedes aegypti foram identificados este ano, em 141 municípios catarinenses.

O número é 32,3% a mais do que o registrado em todo o ano de 2016, quando 7.009 focos haviam sido identificados em 139 municípios.

Mosquito Aedes aegypti é transmissor da dengue. Imagem: Paulo Whitaker/Reuters
Dengue

No período de 01 de janeiro a 14 de outubro de 2017, foram notificados 2.111 casos de dengue em Santa Catarina.

Desses, 12 (1%) foram confirmados (todos pelo critério laboratorial), 148 (7%) estão inconclusivos (classificação utilizada no SINAN nos casos em que, após 60 dias da data de notificação, ainda estiverem sem encerramento da investigação), 1.897 (90%) foram descartados por apresentarem resultado negativo para dengue e 54 (2%) casos suspeitos estão em investigação pelos municípios.

Do total de casos confirmados (12) até o momento, dois são autóctones, com transmissão dentro de Santa Catarina, seis são importados (transmissão fora do estado), dois são indeterminados, por não ser possível determinar o Local Provável de Infecção (LPI) e dois permanecem em investigação.

Febre de chikungunya

No período de 01 de janeiro a 14 de outubro de 2017, foram notificados 298 casos de febre de chikungunya em Santa Catarina.
Desses, 235 (79%) foram descartados e 31 (10%) permanecem como suspeitos. Até o momento, 28 casos confirmados são importados (transmissão fora do estado) e 04 casos permanecem em investigação.
Dos casos confirmados na região, está o município de Mafra e de Canoinhas.

Fonte: Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC)