Perícia médica. Pontos obscuros na agência do INSS em Canoinhas

Mais uma vez o assunto "perícias médicas na agência do INSS de Canoinhas" foi debate na Câmara de Vereadores.
Na sessão de segunda-feira (16), a vereadora Norma Pereira (PSDB) apresentou requerimento pedindo informações sobre as funções da médica perita lotada na agência da cidade e sobre quando Canoinhas irá dispor de peritos médicos para o atendimento do público.

A vereadora relatou que a profissional responsável pelas perícias médicas no município está lotada para realizar serviços internos, porém o INSS não abriu processo seletivo para a contratação de um novo médico. 
Norma requereu explicações ao órgão sobre o porquê da falta de atendimento. 

Agência do INSS em Canoinhas
Requerimento nº 519/2017

Toda a edilidade requer que seja encaminhado ofício seja encaminhado à sra. Kathia Maria Moreira Braga, Superintendente Regional Sul do INSS, e ao Senhor Altemir Cordeiro, Gerente Executivo do INSS de Joinville-SC, o seguinte pedido de informações:

Diante carência de peritos médicos do INSS em Canoinhas SC, o que vem causando enormes transtornos aos segurados residentes aqui na microrregião, eis que são obrigados a deslocarem-se para atendimento em municípios próximos e até mais distantes sempre que à espera da concessão de benefícios de auxilio doença, acidente, LOAS, aposentadoria por invalidez.

Indagam os Senhores Vereadores da Câmara Municipal de Canoinhas, o seguinte:

1. Qual a situação funcional da perita Dra. Ísis Borges Pintado, lotada na agência de Canoinhas e que não faz atendimentos ao público? 

2. Quais os motivos legais para o não atendimento ao público pela referida perita médica do INSS? 

3. Quando deverá a agência de Canoinhas dispor de peritos médicos que cumpram com a sua finalidade funcional e legal? 

4. Pode um médico concursado negar-se a atender os segurados do INSS e paralelamente cumprir contratos de trabalho médico?
O presidente Wilmar Sudoski (PSD) comentou que o tema deve seguir em debate na Câmara até que tenha uma solução. “Enquanto não resolver, nós não podemos parar com esse assunto, que vem afetando o cotidiano de muitas famílias”.
Sudoski também lamentou que usuários tenham que se deslocar a municípios distantes para realizar as perícias, como Lages.