Gostosuras ou travessuras?

Graças ao Harry Potter, a imagem das bruxas e bruxos do século XXI é mais suave. Mas nem sempre foi assim. No século XVII as coisas eram muito tenebrosas.
Em Salem, Massachusetts, no ano de 1692, ocorreram os últimos julgamentos por bruxaria.

Neles, cerca de 150 pessoas foram presas e pelo menos 20 foram mortas, sendo a maioria delas mulheres. Os assassinatos eram realizados com requintes de crueldade, queima em fogueiras, afogamentos, enforcamentos etc.


Desde os tempos antigos as bruxas eram associadas ao mal.
Na Idade Média, as mulheres que tinham alguma ligação com a prática de bruxaria ou com medicina alternativa eram perseguidas pela Igreja Católica, muitas eram humilhadas em praça pública e outras mortas (queimadas vivas em fogueiras coletivas), maior exemplo disso ocorreu com Joana D’arc.

Halloween 

O Dia das Bruxas é o maior feriado não cristão dos Estados Unidos e um dos mais antigos ainda comemorados. 
Algumas pessoas vêem o Dia das Bruxas como um momento de diversão, colocando fantasias, truques ou tratando e tendo festas temáticas. 

Outros vêem isso como um tempo de superstições, fantasmas, goblins e espíritos malignos que devem ser evitados a todo custo.

O Halloween tem suas raízes não na cultura americana, mas no Reino Unido. Seu nome deriva de "All Hallows' Eve".
"Hallow" é um termo antigo para "santo", e "eve" é o mesmo que "véspera". O termo designava, até o século 16, a noite anterior ao Dia de Todos os Santos, celebrado em 1º de novembro.

Mas uma coisa é a etimologia de seu nome, outra completamente diferente é a origem do Halloween moderno.

Desde o século 18, historiadores apontam para um antigo festival pagão ao falar da origem do Halloween: o festival celta de Samhain (termo que significa "fim do verão").

O Samhain durava três dias e começava em 31 de outubro. Segundo acadêmicos, era uma homenagem ao "Rei dos mortos".

Em meados do século 8, o papa Gregório 3º mudou a data do Dia de Todos os Santos de 13 de maio - a data do festival romano dos mortos - para 1º de novembro, a data do Samhain.

O Dia das Bruxas que conhecemos hoje tomou forma entre 1500 e 1800.
Fogueiras tornaram-se populares  no Halloween. Elas eram usadas na queima do joio (que celebrava o fim da colheita no Samhain), como símbolo do rumo a ser seguido pelas almas cristãs no purgatório ou para repelir bruxaria e a peste negra.

Um dos hábitos mais característicos envolvia crianças, que iam de casa em casa cantando rimas ou dizendo orações para as almas dos mortos. 
Em troca, eles recebiam bolos de boa sorte que representavam o espírito de uma pessoa que havia sido liberada do purgatório.

A origem das abóboras no Halloween

A tradição é inspirada na lenda irlandesa de Jack o’lantern (Jack Zé da Lanterna, no bom português). Ele era um homem que adorava beber e que por várias vezes enganou o diabo. Quando morreu, Jack não conseguiu entrar no céu, e por ter enganado o diabo também não conseguiu entrar no inferno.

Ele ficou no meio do caminho, numa espécie de limbo, e o diabo lhe deu um pedaço de carvão. Jack então acendeu e o colocou dentro de um nabo irlandês, transformando-o em uma lanterna com a qual vagava por aí, iluminando seu próprio caminho.


Baseados nesse mito, durante a festa de celta de Samhain, os irlandeses passaram a acender velas dentro de nabos e esculpir rostos assustadores para espantar os maus espíritos.

A tradição foi levada aos EUA pelos imigrantes, que ao chegarem lá perceberam a escassez de nabos e uma abundância de abóboras, fazendo então essa substituição.

Gostosuras ou Travessuras

Na Idade Média, existia um costume no dia de Finados, em que crianças saiam pelas ruas, pedindo um pedaço de bolo. O bolo era para as “almas” dos falecidos, como um ato de caridade. Em troca, as crianças ofereciam uma oração pela família. Na maioria das casas, sempre havia uma família que já tinha perdido alguém.

Mas a tradição evoluiu, e as crianças passaram a pedir doces, e no lugar de oferecer uma oração, passaram a ameaçar as famílias que não lhes davam os doces, dizendo que fariam alguma travessura.


Vemos, portanto, que a atual festa do Halloween é produto da mescla de muitas tradições.
É por isso que, hoje em dia, ninguém compreende o verdadeiro sentido das comemorações. As verdades vão se perdendo com o tempo e as pessoas simplesmente não se importam com as raízes e com as origens de todas as coisas.