Aluno de 14 anos, que matou a tiros dois colegas de sala, diz que sofria bullying

O estudante de 14 anos, que matou dois colegas de sala e deixou quatro feridos, em um colégio particular de Goiânia, disse à polícia, em depoimento,  que tinha intenção de matar apenas o colega autor do bullying contra ele, mas no momento do ataque, sentiu vontade de fazer mais vítimas.

Para cometer os crimes, o adolescente usou uma pistola .40 pertencente à mãe dele, que é policial militar.

João Pedro Calembo e João Vitor Gomes, ambos de 13 anos, morreram na hora.
Imagem:TV Anhanguera/Reprodução

O caso
Segundo informações apuradas pela polícia até agora, o adolescente pegou a arma, pertencente à mãe, guardou na mochila e foi para a escola.
No intervalo das aulas, às 11h50m, tirou a pistola .40 da mochila e começou a atirar. Dois estudantes do 8º ano, da mesma turma do autor do ataque morreram no local, e quatro ficaram feridos.

Arte elaborada pela equipe do G1/Goiás
O aluno descarregou um cartucho, carregou o segundo e deu um tiro, mas foi convencido pela coordenadora a travar a arma.

Depoimento
O estudante já foi ouvido pela polícia. Segundo o delegado  Luís Gonzaga, da Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais da Polícia Civil de Goiás, ele afirmou que foi motivado por bullying e disse que se inspirou nos casos da escola de Columbine (ocorrido em 1999, nos Estados Unidos  e que deixou 12 alunos e um professor mortos ), e de Realengo (em 2011, no Rio de Janeiro onde 12 pesoas foram mortas). 

No depoimento, o estudante narrou que tinha intenção de matar apenas o colega autor do bullying contra ele, mas no momento do ataque, sentiu vontade de fazer mais vítimas.

Pistola .40 utilizada pelo adolescente. Imagem: Danila Bernares/TV Anhanguera
"Ele disse que vinha sofrendo bullying, ou nas palavras dele, que um colega estava amolando ele. Ele decidiu cometer esse crime. Ele ficou dois meses planejando a ação", disse o delegado Luiz Gonzaga Júnior.

O delegado disse ainda que a tragédia poderia ser ainda maior se uma coordenadora da escola não interviesse, pois o adolescente tinha mais munição.
Perícia realizada no local indicou que o adolescente efetuou 13 disparos antes de ser interrompido.

As vítimas
João Vitor Gomes João Pedro Calembo, ambos de 14 anos,  morreram no local. Uma menina de 13 anos está em estado grave na UTI. Ela foi atingida na mão, pescoço e no tórax. A menina passou por procedimento cirúrgico para drenagem de tórax.
A segunda vítima, também uma adolescente de 13 anos, está consciente e respirando sem aparelhos. Ela teve um pulmão perfurando e passou por cirurgia.

A terceira vítima é um menino de 13 anos que está consciente, estável e continua em avaliação. A quarta vítima está no Hospital Acidentados e em estado estável.

Os corpos dos dois estudantes foram retirados da escola por volta de 16h45 e levados para o Instituto Médico Legal (IML).

Já o autor dos tiros foi levado à sede da Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais (Depai) e, em seguida, encaminhado para o IML para os exames de corpo de delito. 
As investigações devem continuar até a total apuração dos fatos.