Agência do INSS em Canoinhas pode sofrer o encerramento de suas atividades


A assistente social Marisa Aparecida Mellotto Gallotti fez uso da tribuna na sessão de segunda-feira(09), e fez uma explanação, digamos excelente, sobre a Seguridade Social no atual cenário econômico do país.
Marisa diz que, com as crises financeiras, os primeiros setores afetados são as políticas sociais.

Marisa Aparecida Mellotto Gallotti/Divulgação
Segundo Marisa, há a previsão de um corte de 98% dos recursos federais nos serviços de assistência social no município, o que inviabilizaria a realização de projetos já consolidados, como os oferecidos nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS). “Se não tem verba orçamentária, vai acabar tudo que nós temos aqui (em Canoinhas)”. 

Servidora do INSS, Marisa comentou que o novo atendimento informatizado também prevê a redução do atendimento presencial da população. 

Quanto a Previdência Social, segundo ela, sem a realização de perícias no município e os cortes de verbas, a agência de Canoinhas também pode sofrer o encerramento de suas atividades. 
Para a profissional, é necessário mobilizar os representantes e população canoinhense para garantir a manutenção dos direitos dos cidadãos. “A gente tem que se mobilizar para conseguir manter as verbas federais para os serviços públicos”, afirmou.
Servidora da saúde municipal, a vereadora Zenici Dreher (PR) relatou que a saúde já sofreu cortes com o fechamento da Farmácia Popular do Brasil

Zenici também lembrou que, hoje, a Secretaria de Estado de Saúde possui uma dívida de R$ 800 mil com o município de Canoinhas, o que tem comprometido a qualidade e a rapidez dos atendimentos. 

A vereadora lamentou, ainda, que os usuários do INSS do município tenham que se deslocar a outras cidades para realizar perícias, de modo que, muitas vezes, a administração é quem arca com os custos dos deslocamentos. 

Como forma de mobilizar a população sobre a situação atual da seguridade social no país, a vereadora sugeriu a realização de três medidas: um abaixo-assinado pedindo pela manutenção dos recursos, debates nas Câmaras de Vereadores dos municípios vizinhos e a realização de uma Audiência Pública “para debater e ouvir a população a respeito desse tema”.