Justiça quer saber se o Estado investe o mínimo na saúde ou se existe maquiagem nas contas

O procurador-geral de Justiça de Santa Catarina, Sandro José Neis, pediu na tarde de segunda-feira (4) ao presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Luiz Eduardo Cherem, uma auditoria nos gastos do governo catarinense com a saúde.

No final de agosto, o Conselho Superior do Ministério Público havia pedido à Procuradoria-geral de Justiça de Santa Catarina que abrisse um inquérito civil contra o governador Raimundo Colombo (PSD) e o secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso.

O pedido foi motivado pela dívida do governo com hospitais e instituições de saúde.

A própria Secretaria de Estado da Saúde admite que o valor da dívida do governo com os hospitais passa dos R$ 700 milhões. Os atrasos refletem nos atendimentos.
Auditoria

Nesta segunda, o presidente do TCE determinou que cinco técnicos, entre auditores e economistas do tribunal, fossem pessoalmente até a Secretaria Estadual da Saúde para analisar os gastos dos últimos cinco anos.

O procurador-geral de Justiça quer saber o valor real da dívida na saúde, se o estado investe o mínimo exigido pela lei na área e se existe alguma maquiagem nas contas.

A equipe tem até seis meses para terminar a auditoria e entregar o resultado a ele. Depois, ele deve decidir se abre inquérito contra o governador.
Tecnologia do Blogger.