Três pessoas contraem infecção e uma morre após tomar vacina contra a gripe em Curitiba

Em Curitiba, quatro pessoas, todos idosos, tiveram infecção bacteriana após receberem aplicação da vacina contra a gripe, na Unidade de Saúde Medianeira, que fica no bairro Boa Vista, em Curitiba/PR, no dia 27 de abril deste ano. Todas foram internadas.

Na época, a superintendente de Vigilância e Saúde de Curitiba, Juliane Oliveira, confirmou a relação: a mesma unidade, a mesma data e os mesmos sinais de infecção.

Depois que os pacientes apresentaram reação, a unidade de saúde foi fechada. Um processo administrativo foi aberto para apurar o que aconteceu.

Posto onde foram aplicadas as vacinas. Imagem: RPC/Reprodução
Neste domingo (20), a prefeitura de Curitiba confirmou a morte de uma mulher de 63 anos, no sábado (19), causada por infecção bacteriana contraída com a aplicação da vacina da gripe.

Os outros três idosos que se vacinaram no mesmo local também tiveram infecção causada pela vacina, mas já estão recuperados.

A vereadora de Curitiba Noêmia Rocha (PMDB) afirmou, nesta segunda-feira (21), que conversou com uma das técnicas de enfermagem que aplicaram a vacina contra a gripe na Unidade de Saúde Medianeira, no dia 27 de abril.

Noêmia Rocha disse que a servidora relatou uma série de problemas originados na Unidade de Saúde a partir das condições de trabalho. "Se pensava que era o espaço, o local, a falta de higienização do local.
Mas, uma das servidoras relatou que, na verdade, ela não tinha tempo de lavar as mãos – teve 270 aplicações no dia, e ela disse que não tinha nem tempo de lavar as mãos".

Contudo, também nesta segunda-feira, um representante da Secretaria Municipal de Saúde negou as afirmações feitas pela vereadora.

Alcides Souto de Oliveira, diretor do Centro de Epidemiologia,  afirmou que a Unidade de Saúde estabelece os critérios de funcionamento baseados no Ministério da Saúde e tem plenas condições de funcionamento.

"Nós discordamos do que está sendo falado porque, pelo o que nós analisamos, foi realizada uma sindicância, está numa fase de inquérito administrativo a cargo da Procuradoria-Geral do Município e não houve esse tipo de situação", pontuou o diretor. 

A Secretaria de Saúde reiteirou que a vacina da gripe é totalmente segura.
G1/Paraná