Pesquisa diz que taxa de desemprego caiu em SC, mas...há o outro lado

A geração de empregos em Santa Catarina é destaque nacional mais uma vez. Pesquisa do IBGE divulgada nesta quinta-feira(17), mostra que o estado registrou taxa de 7,5% de desocupação no segundo trimestre deste ano, o menor índice do país. 

Os dados revelam ainda uma melhora em relação ao primeiro trimestre, quando Santa Catarina já havia apresentado o melhor resultado, mas com taxa de 7,9% de desocupação.


A média nacional no primeiro trimestre ficou em 13% de desocupação, revela a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua). No primeiro trimestre, o índice no país era de 13,7%.

Entre os estados, Santa Catarina manteve o melhor resultado no acumulado do segundo semestre, com índice de 7,5%, seguido por Rio Grande do Sul (8,4%) e Mato Grosso (8,6%). 

O outro lado

No Estado, embora a taxa de desocupação tenha alcançado 7,5% da população no segundo trimestre, há uma variação enorme do indicador entre grupos raciais.

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua trimestral, divulgada pelo IBGE nesta quinta-feira, a taxa de desocupação entre as pessoas brancas foi de 6,7% no segundo trimestre do ano, enquanto a dos pretos atingiu 8,9% e dos partdos, 12,7%.

 "Preto" é a terminologia utilizada oficialmente pelo IBGE, que considera "negros" o grupo formado por pretos e pardos.

Os salários também são menores entre os negros. 
O rendimento médio no 2ºtrimestre de 2017, para brancos era de R$ 2.325, enquanto para pretos era de R$ 1.754 e pardos de R$ 1.671. A diferença, aliás, nunca foi tão grande. 

Ao se analisar dados para o período de abril a junho desde 2012, este ano apresentou a maior diferença entre os salários de brancos e pretos, e também de brancos e pardos.
Fonte: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua trimestral, do IBGE.