Motorista preso por causar acidente no Paraná pode ser um dos maiores assaltantes à carro forte do sul do Brasil

Guilherme Costa Ambrózio foi preso depois de causar um acidente no Contorno Leste, em Curitiba, e tentar fugir do local sem prestar socorro à vítima. Ele não tinha habilitação e levava no veículo grande quantidade de dinheiro.

O acidente aconteceu na manhã de quinta-feira (17). A Polícia Rodoviária Federal chegou no local e acionou o socorro médico.

Guilherme estava foragido desde agosto de 2016.Imagem: Flávia Barros/Banda B
A equipe foi informada por um motociclista que uma BMW com marcas de acidente estava em um posto de combustíveis na avenida Rui Barbosa, a dois quilômetros do local do tombamento.

 O caminhão carregado com chapas de madeira foi atingido lateralmente pela BMW, saiu da pista e tombou. 
No posto, os policiais rodoviários encontraram o homem que argumentou que deixou o local do acidente porque estava com uma grande quantia em dinheiro que seria usada para a compra de um imóvel.

Um motociclista informou à PRF que havia uma BMW com marcas de acidente em um posto de combustível próximo. PRF/Divulgação
O suspeito de 34 anos tentou fugir correndo pelo mato, mas foi alcançado e preso. Ele foi enquadrado inicialmente nos crimes de omissão de socorro, fugir de local de acidente, dirigir sem habilitação e desobediência.

O motorista do caminhão foi encaminhado gravemente ferido para o Hospital de São José dos Pinhais.

Dinheiro encontrado no veículo pode ser fruto de assalto a carro forte.  PRF/Divulgação
Nesta sexta-feira (18), ele foi identificado como um dos suspeitos de participar do assalto contra um carro-forte na BR-277 no último dia 28 de julho.

De acordo com o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), ele é investigado por ser um dos maiores assaltantes de carros-fortes do Sul do Brasil e estava foragido desde agosto de 2016.

Assalto ao carro forte na BR 277

Um assalto cinematográfico a um carro forte na noite do dia 28 de julho levou medo e transtornos para motoristas que seguiam pela BR-277, no sentido litoral paranaense. 

Imagem: Lineu Filho
Um veículo da empresa de transporte de valores Proforte seguia com quatro seguranças no sentido Paranaguá, quando por volta das 19h já na Serra do Mar, foi surpreendido, por um grupo de oito indivíduos armados que estavam em dois carros. 

Portando fuzis calibre 50 e 762, que têm uso restrito às Forças Armadas, eles atiraram contra os vigilantes, obrigando o carro forte a parar.

Em seguida, os bandidos explodiram o cofre do blindado para ter acesso ao dinheiro e fugiram em seguida, utilizando dois veículos.

Carro utilizado pelos bandidos foi explodido para não deixar pistas. Imagem: Lineu Filho
Durante a fuga os criminosos se depararam uma viatura da PM e houve nova troca de tiros. Mas os bandidos conseguiram escapar, bloqueando a rodovia com dois carros de motoristas que estavam na estrada. Os veículos tiveram seus pneus furados e suas chaves levadas.

Veículos modificados


Segundo a PRF, os bandidos modificaram os carros para poder instalar as duas metralhadoras .50, uma em cada carro utilizado. Os bancos foram retirados e foi criada ainda uma proteção de metal para que eles pudesse atirar sem serem atingidos.
Com a troca de tiros, o motorista do carro forte e um caminhoneiro acabaram feridos. 

Prisão

Segundo delegado Rodrigo Brown, mesmo após provocar o acidente, fugir sem prestar socorro e não saber dizer de onde eram os R$ 228,7 mil em dinheiro, ele ainda apresentou um documento de identificação falso.
 “O Guilherme estava foragido da Justiça do Rio Grande do Sul desde agosto de 2016 e morando em Curitiba. Chegamos até um apartamento no bairro Capão Raso, onde ainda encontramos uma pistola Glock 9 milímetros e muita munição”, relatou.
Click Paraná e Banda B